Por pbagora.com.br

O Ministério Público entrou com uma representação contra o primo do ex-goleiro do Flamengo Bruno, um adolescente de 17 anos por sequestro, homicídio e ocultação de cadáver da ex-amante do jogador, Eliza Samudio. A informação foi confirmada pelo promotor de Justiça Leonardo Barreto Moreira Alves, que acompanhou o depoimento do menor nesta terça-feira (13).

De acordo com ele, a defesa tem três dias para recorrer da representação. Se pegar o prazo máximo de medida sócio-educativa, o adolescente poderá ficar até três anos internado.

Veja a reconstituição do crime

A Justiça de Minas Gerais já decretou a internação provisória de 45 dias para o menor, que ficará no Centro de Internação Provisório no bairro Orto, zona leste de Belo Horizonte. Dentro deste período, uma audiência de instrução deverá ser marcada e o juiz dará uma sentença para o adolescente.

O membro do Conanda (Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente) Ariel de Castro Alves explica que, na área da infância e juventude, a representação é equivalente a denúncia contra um adulto feita na área criminal. Assim, a medida sócio-educativa funciona como a chamada “pena”.

– O menor não fica impune. Ele é responsabilizado, mas isso é feito com base no Estatuto da Infância e do Adolescente.

Para Alves, o fato de o adolescente ter colaborado com as investigações poderá ajudá-lo a ter a medida sócio-educativa amenizada nas avaliações que são feitas a cada seis meses durante a sua internação.

– Ele está contribuindo com a Justiça. Se não fosse ele, haveria uma dificuldade grande para os fatos serem esclarecidos. Além de ser um dos acusados como co-autor do crime, ele é uma testemunha-chave.

Alves ressalta ainda que existe uma preocupação com a segurança do adolescente que causou uma reviravolta no caso denunciando pessoas envolvidas no crime.

– Ele tem que ser protegido. Essa é a nossa preocupação. O Estado é obrigado a garantir a proteção.

Depoimento

O adolescente, que foi ouvido sem a presença dos pais ou de um responsável durante uma audiência de apresentação no Juizado da Infância e Juventude de Belo Horizonte, voltou a afirmar que Bruno não estava presente no momento em que sua ex-amante, Eliza Samudio, foi assassinada.

Segundo o promotor Leonardo Barreto Moreira Alves, o menor afirmou que Bruno esteve no sítio em Esmeraldas para um churrasco no mesmo dia em que Eliza foi morta. No entanto, ele nega a versão dada por outro primo do jogador, Sérgio Camelo, de que ele teria presenciado o assassinato. De acordo com ele, Bruno "ficou estarrecido e assustado porque não queria isso [morte de Eliza]".

O adolescente também confirmou a participação de Macarrão no assassinato de Eliza. De acordo com ele, o amigo de Bruno amarrou as mãos da jovem para que ela fosse estrangulada pelo ex-policial civil Marcos Aparecido dos Santos, o Bola.

Ele voltou a afirmar que estava no local onde Eliza foi assassinada, mas disse que pediram para ele sair no momento em que o crime foi cometido. Segundo o menor, a ex-mulher de Bruno, Dayanne Rodrigues do Carmo Souza, ficou responsável por ficar com o filho da vítima, na época com quatro meses de idade.

O adolescente disse ainda que foi chamado por Macarrão para "dar um susto em Eliza" no dia em que a jovem foi sequestrada, e que não tinha dimensão de que rumo a situação iria tomar.
 

R7

Notícias relacionadas

Em João Pessoa, homem é preso com drogas escondidas dentro de geladeira

A Polícia Militar prendeu um homem no bairro de Oitizeiro, em João Pessoa, com drogas escondidas dentro de uma geladeira. No local, os agentes de segurança apreenderam uma grande quantidade de…

Vereador da região de Sousa cai em golpe e perde mais de R$ 10 mil

Nessa terça-feira (13) o vereador Francisco Alexandre (PSDB) da cidade de Marizópolis, região de Sousa, Sertão paraibano, revelou, em contato com a imprensa que foi vítima de um golpe, onde…