A Paraíba o tempo todo  |

PRF usa 48 bafômetros em BRs

 A Polícia Rodoviária Federal (PRF) começou, ontem, a Operação de Fim de Ano com 300 policiais que trabalharão nas fiscalizações nos mais de 1.300 km de rodovias que cortam a Paraíba. Com foco na redução do número de acidentes nas estradas e na fiscalização do cumprimento da Lei Seca, serão utilizados 48 bafômetros durante a operação que vai até à meia-noite do dia 2 de janeiro de 2012.

De acordo com a superintendente da Polícia Rodoviária Federal na Paraíba (PRF), Luciana Duarte, o objetivo da operação é intensificar a fiscalização neste período festivo, especialmente em relação ao consumo de bebidas alcoólicas. “As ações relacionadas a essa campanha têm o intuito de reduzir as condutas de risco dos condutores de veículos, tendo em vista que em torno de 90% dos acidentes graves estão relacionados à conduta do motorista. São ações como o excesso de velocidade, a ultrapassagem indevida e o consumo de álcool, então, a idéia é chamar os motoristas pra responsabilidade na condução do veículo, para evitar mais acidentes nas estradas, com especial atenção aos que ocorrem por causa da ingestão de álcool combinada com a direção”, explicou.

Em 2011 foram realizados 315 testes de alcoolemia no Estado, sendo que 73 pessoas foram autuadas e 38 foram detidas por causa da combinação álcool e direção De janeiro a 15 de dezembro deste ano, ocorreram 3.790 acidentes nas rodovias federais da Paraíba, com um saldo de 2.240 feridos e 161 mortos.

Para a ação, a PRF vai contar com o apoio do Detran-PB e das guardas municipais.

“As pessoas adotam as condutas de maior risco geralmente na volta para casa, quando querem chegar logo e fazem ultrapassagens indevidas ou trafegam acima da velocidade permitida, ou após o happy hour, devido ao consumo de álcool, então, fiscalizaremos em horários diferenciados e nas áreas de maior risco e fluxo de veículos, a exemplo dos pontos de acesso à praia. Na região metropolitana de João Pessoa, teremos pontos de fiscalização desde Cabedelo até Santa Rita. No interior do Estado, os pontos mais críticos são o acesso à Campina Grande e alguns locais do sertão. Por isso, é importante contar com o apoio do Detran e das guardas municipais, que cuidarão do trânsito urbano, dentro das cidades”, afirmou a superintendente.

Lei Seca deve ser cumprida

O chefe de policiamento da PRF, Lucas Lucena, afirmou que a grande causa dos acidentes é a velocidade acima do permitido. Destes, os mais graves são causados pela combinação álcool e direção. “Falta preocupação com o próximo e respeito com a cidadania. As pessoas acreditam que podem beber e dirigir e sair ilesos disso e, por isso, não se preocupam em respeitar os outros e continuam cometendo este erro terrível. Muitos reclamam que o problema é a impunidade ou que a lei seca é branda, mas ninguém se questiona onde está a preocupação do ser humano com o próximo. Se há uma lei, ela deve ser cumprida e respeitada”, declarou.

A Lei Seca prevê que o condutor que é flagrado dirigindo sob o efeito de álcool, mesmo que se recuse a fazer o teste do bafômetro, pague uma multa de R$957, tenha a CNH suspensa de quatro meses a um ano e, caso cometa algum delito, seja processado por lesão corporal ou homicídio culposo.

Aprovação

O motoqueiro José Nilson da Silva aprovou a iniciativa da Polícia Rodoviária Federal. “É necessário fazer a fiscalização, assim nos sentiremos mais seguros. As pessoas têm que aprender a respeitar as leis do trânsito, os outros motoristas e os pedestres”, afirmou. O motorista Rubens Gomes também gostou da ação. “Eu espero que ajude a melhorar o trânsito nas BRs e reduzir os acidentes, especialmente os relacionados à ultrapassagem indevida”, disse.

O estudante Aníbal de Sá contou que, quando sai com os amigos, um deles não bebe para deixar todos em casa com segurança. “O que vai dirigir não bebe de jeito nenhum, nós nos preocupamos com o trânsito seguro. Eu acho importante essa operação justamente por isso, para evitar tantos acidentes que poderiam ser evitados se todos tivessem consciência de beber e não dirigir”, disse.

Dicas para uma viagem segura:

Antes de pegar a estrada é necessário que o motorista faça uma revisão preventiva do seu veículo, verificando as condições de funcionamento do carro, estepe, chaves de roda, farol, freios, limpador de pára-brisas, entre outros. Conhecer o itinerário também é importante. O motorista deve estar com sua viagem programada e seguir o seu roteiro estabelecido. A Polícia Rodoviária Federal está presente em mais de 68 mil quilômetros de rodovias e estradas federais, disponível para tirar dúvidas dos motoristas que trafegam no país.

É importante que o motorista fique atento às condições de circulação da rodovia. Em trechos com pista simples é necessária atenção redobrada. As ultrapassagens somente devem ser realizadas em locais permitidos e com segurança. As colisões frontais são as modalidades mais graves de acidentes de trânsito.

O condutor também deve programar paradas pelo menos a cada três horas de deslocamento. Quem se expõe a muitas horas dirigindo fica sujeito ao fenômeno conhecido como “hipnose rodoviária”, no qual a pessoa esta com os olhos abertos, mas sem a percepção da realidade. Além da sonolência e do cansaço excessivo que podem comprometer os reflexos do motorista. O condutor também deve evitar dirigir nos períodos noturnos, pois a baixa luminosidade dificulta a dirigibilidade.

 

Correio da Paraíba

PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe