Por pbagora.com.br

 Policiais da Paraíba estiveram na Caixa Beneficente dos Oficiais e Praças da Polícia Militar, no último dia 15, para discutir assuntos como subsidio da categoria; PCCR-Plano de Carreiras e Salários; Código de Ética; prisões disciplinares contra policiais militares; Serviço extra; risco de vida entre outros.

 

Representantes da Associação dos Subtenentes e Sargentos (ASSPOM) e da Associação dos Militares do Estado da Paraíba (AMEP) presidentes da Caixa Beneficente e do Clube dos Oficiais; Associação de Esposas, Mães e Pensionistas dos Policiais e Bombeiros Militares da PB(ASSEMP) e policiais militares de unidades de João Pessoa e Campina Grande se fizeram presentes.

 

Pereira que é policial militar e integra o CEDH da Paraíba ressaltou a importância na unidade da categoria e as entidades de classe representativas.

 

“É importante termos a unidade entre as entidades de classe da Policia Militar e todos integrantes da corporação”. “Além do mais, a Segurança Pública de
qualidade é o foco da nossa luta e para isso empreenderemos a pedagogia da luta por direitos na Polícia Militar da Paraíba”, afirmou Pereira.

 

Segundo Pereira, é uma prioridade que os policiais participem da luta por direitos e aprendam como se organizar e planejar de forma legitima. “Sem a participação da sociedade não há Segurança Pública de qualidade, portanto a sociedade é nossa maior aliada”, pautou Pereira.

 

Conheça os encaminhamentos da reunião:

 

Dia 22 de maio, foi realizado pelos policiais militares um ato público em frente ao Palácio do governo do estado na Capital. O dia da verdade sobre a Segurança Pública foi marcado pela realização de várias atividades.

 

ASSEMBLEIA
Dia 29 de maio, Assembleia Geral conjunta para oficiais e praças com toda a categoria policial militar da Paraíba. A assembleia será na frente da caixa
beneficente da Polícia Militar, na rua das trincheiras 401 centro, João Pessoa às 14h00 quando em votação a maioria dos integrantes da Polícia Militar
decidirão as ações e medidas adotadas pela categoria.

 

Segundo Pereira as pautas e reivindicações dos policiais é O PCCR – Plano, Carreira, Cargos e Salários; substituição do RDPM-Regulamento Disciplinar da Polícia Militar (ainda do tempo da ditadura militar) pelo Código de ética que deve respeitar a Constituição Federal; extinção das prisões disciplinares da Polícia
Militar imediatamente já que este fato é um atentado a integridade e a dignidade da pessoa humana e uma violência e desrespeito aos Direitos Humanos
dos policiais militares da Paraíba, bem como, as suas famílias e, o Risco de Vida que o governo Estadual insiste em não pagar aos policiais militares.

 

Ainda segundo Pereira, na Paraíba há Guarda Municipais que recebem o risco de vida de valores que vão de $740,00 a $995,00. “É inaceitável que um policial militar na Paraíba não receba o risco de vida”, disse Pereira.

 

Pereira afirmou que os policiais militares da PB precisam de uma política habitacional e que o governo do Estado deveria valorizar todos os profissionais da Segurança Pública.

 

“A categoria policial militar é sem duvida a que mais sofre com o assédio moral, falta de condições de trabalho, perdas de salário, ausência de plano de
saúde de qualidade e ainda se obriga a prestar um serviço essencial”. “Armas, coletes e viaturas são insuficientes à Segurança Pública de qualidade”,
completou Pereira.

 

Assessoria de Imprensa

Notícias relacionadas

Delegada dá dicas e alerta sobre o perigo de ‘vantagens fáceis’ na web

Quando o assunto é cibersegurança, os bandidos quase sempre saem na frente. Há muitas razões para isso, começando pelo fato da segurança ser basicamente algo reativo, sem contar na desigualdade…

Dinheiro roubado de casa lotérica em Pirpirituba é recuperado pela polícia

A Polícia Militar recuperou o dinheiro levado de um assalto a uma casa lotérica da cidade de Pirpirituba, nessa segunda-feira (19), durante um cerco que frustrou a fuga dos dois…