Por pbagora.com.br
Foto: Zuíla David/TV Cabo Branco

Três laboratórios de cultivo de skunk, que é um tipo de maconha mais potente, foram fechados pela Polícia Civil nos bairros do Valentina de Figueiredo e Cabo Branco, em João Pessoa, na madrugada desta quarta-feira (13). Nos locais, foram apreendidos cerca de 200 pés de maconha. O material produzido era comercializado em estados do Norte e Nordeste.

De acordo com a polícia, a descoberta dos locais foi possível após meses de investigação e através do disque-denúncia, por onde foi passado mais informações sobre a produção. Dois homens, identificados como Denerson Lima Coutinho e Ícaro de Carvalho Henrique, foram presos suspeitos de envolvimento na produção de entorpecentes.

Segundo o delegado Bruno Victor, um dos laboratórios tinha aproximadamente 200 metros quadrados com climatização, iluminação e irrigação inteligentes, responsáveis por fazer a planta crescer mais rápido que o normal, e assim gerar mais lucro em pouco tempo.

Ainda conforme o delegado, os suspeitos investiram cerca de R$ 300 mil nos laboratórios e vinham tentando produzir, em média, 15 quilos de skunk por mês. Cada quilo da droga era vendido por cerca de R$ 30 mil. Os criminosos eram considerados, pelos consumidores, como os ‘reis do skunk’.

Os criminosos foram encaminhados a Delegacia de Repressão a Entorpecentes da capital. Bruno Victor afirmou que mais pessoas envolvidas com a produção da droga podem ser presas ainda durante esta quarta-feira (13).

G1

Notícias relacionadas

Mulher é ferida a golpes de tesoura durante briga, em João Pessoa

Na manhã desta quarta-feira (27), uma mulher foi ferida com golpes de tesoura durante uma briga na rua Padre Azevedo, Centro de João Pessoa. De acordo com as informações a…

Polícia impede furto em loja e prende suspeitos do crime em Cuité

A Polícia Militar frustrou um furto a um estabelecimento comercial, na madrugada desta quarta-feira (27), que estava ocorrendo na cidade de Cuité, a 227 quilômetros de distância de João Pessoa.…