Por pbagora.com.br

 

RIO – A Polícia Federal anunciou, na tarde desta segunda-feira, ter chegado ao restante do bando que agiu, em companhia da falsa freira Lourdes Antunes Marques, em maio deste ano tentando sacar R$ 1,8 milhão da agência da Caixa Econômica Federal (CEF) no bairro de Icaraí, em Niterói.

Em operação que contou com a participação do Ministério Público Federal, prendeu três pessoas e pediu a prisão de mais cinco. Entre os presos está um gerente da Caixa e duas pessoas responsáveis supostamente pelo aliciamento de funcionários da agência. Ao todo oito pessoas tiveram a prisão decretada. Três já estavam presas.

Segundo as investigações dos policiais federais da Delegacia de Niterói, ficou constatado que a quadrilha atuava há algum tempo e que chegou a sacar, de forma irregular, mais de R$ 300 mil.

A quadrilha, supostamente contando com a ajuda de funcionários da Caixa, chegou, sem sucesso, a levantar valores de outros precatórios que totalizariam um montante superior a R$ 3 milhões. O grupo tinha a intenção de sacar o dinheiro.

As oito pessoas, incluindo a falsa freira, foram denunciadas pelo Ministério Público Federal por crimes de peculato, uso de documento falso e estelionato. A PF informou ainda que permanecem foragidos uma advogada – responsável pela consulta dos processos na Justiça – e uma outra mulher, que além de ser uma das mentoras do esquema investigado, também é procurada sob acusação de homicídio, com um mandado de prisão expedido pela Justiça. Os nomes não foram revelados.

A verdadeira freira conseguiu sacar o dinheiro, fruto de uma ação movida por ela em 1999, para receber um título de dívida pública de R$ 1, 859 milhão. A feira, que vive em um convento de Campina Grande, na Paraíba, não sabia que havia ganhado a ação.

 

 

Redãção com O Globo

Notícias relacionadas

Militares sofrem acidente de moto na BR-101, no município de Santa Rita

Dois soldados do Exército ficaram feridos após um acidente entre uma motocicleta e um caminhão, na madrugada de hoje (21), na BR-101, no município de Santa Rita, na Grande João…

Polícia Civil pede prisão de policiais sergipanos que mataram paraibano

A Polícia Civil da Paraíba concluiu o inquérito que apurou a morte do advogado Geffesson de Moura Gomes, e representou pela prisão preventiva dos policiais do estado de Sergipe, Osvaldo…