Por pbagora.com.br

O laudo de número 0679/09 do Instituto de Polícia Científica da
Paraíba (IPC) inocentou os policias militares Antônio Inácio da Silva e
Otacílio Gomes da Silva Filho, lotados na 4º Companhia do 1º Batalhão, da
acusação de ter estuprado a flanelinha Camila Cinthia Joaquim da Silva, 20
anos. Ela afirmou, perante as autoridades policiais, que os dois militares,
no dia 27 de agosto, haviam obrigado-a a entrar na viatura e a estupraram em
um terreno baldio, localizado na praia de Cabo Branco.

O laudo de DNA, assinado pelos médicos legistas Vanduir Soares de
Araújo Filho e Gisleyde Valério Bastos, afirma que os resultados obtidos são
compatíveis com a afirmação de que não há, ou não está presente em
quantidade suficiente para ser detectado pelos métodos de análises
empregados, material biológico pertencente à pessoa do sexo masculino na
calcinha, na camisa, nas amostras de conteúdo vaginal, anal e oral,
coletadas de Camila Cinthia Joaquim da Silva.

 

Secom

Notícias relacionadas

Festa com cerca de 100 pessoas é encerrada pela PM em João Pessoa

Na madrugada deste sábado (15), a polícia Militar encerrou uma festa clandestina com aproximadamente 100 pessoas no bairro das Indústrias, em João Pessoa. De acordo com as informações o evento ocorria…

Suspeito de violentar jovem e assaltar família na Paraíba, é preso

A Polícia Militar localizou e prendeu o principal suspeito de violentar uma jovem, assaltar sua família, e de cometer vários crimes de roubo na região de Lagoa Seca e Puxinanã.…