Por pbagora.com.br

 A Justiça revogou a prisão preventiva do caso “Simone”, episódio que ganhou grande repercussão na mídia da Capital paraibana, no início deste mês de dezembro. A prisão ocorreu horas após o esposo de Simone ser assassinado a tiros no bairro do Bessa, em João Pessoal. Ela foi detida sob a acusação de integrar uma organização criminosa.

 

Simone Ferreira da Costa e Diego Pinto Biodi Vieira tiveram prisões preventivas revogadas pelo juízo da 1° Vara Criminal da Capital. Os Advogados Dr. Moisés Duarte Chaves Almeida e Dr. Antônio Weryk, requereram a liberdade de seus constituintes pelas quais foram atendidos pela Justiça, embora parecer ministerial foi pela manutenção da prisão cautelar.

 

Foram aplicadas medidas cautelares a fim de assegurar a normal tramitação e conveniência da instrução processual.

 

Simone Ferreira da Costa procurou o Dr. Moisés Duarte Chaves Almeida que enfatizou, que sua constituinte é inocente e depois da instrução e produção de provas, acredita na sua absolvição e acrescentou que na oportunidade da revogação de sua prisão, deixou a inteira disposição da Justiça, os sigilos bancários, fiscais e telefônicos, inclusive os valores recebidos em sua conta apontados como ilícitos pela polícia.

 

Entenda o Caso

Duas pessoas foram presas no dia 05 de dezembro em João Pessoa. De acordo com a Polícia Civil, os detidos são membros de organização especializada na negociação de imóveis com documentos falsos e atuação em diferentes estados.

 

Segundo a Polícia Civil, outro procurado pela Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF) iria ser preso, porém foi assassinado no bairro do Bessa. A polícia informou que o crime foi cometido por membros da organização criminosa, em virtude de discussão envolvendo a partilha dos lucros obtidos nas fraudes. Simone Ferreira da Costa, mulher do homem assassinado, foi detida ao comparecer para prestar esclarecimento na Delegacia de Homicídios.

 

Homem é executado na frente da esposa no Bessa

Um homem foi morto a tiros no início da tarde desta segunda-feira (5) quando chegava com a esposa no prédio onde morava no bairro do Bessa, em João Pessoa. A vítima havia se mudado para o imóvel há 15 dias. De acordo com a Polícia Militar, o casal estava num veículo Chevrollet Cruze quando foi interceptado por uma Hillux prata, ocupada por cerca de três homens que efetuaram os disparos.

 

Segundo a PM, a vítima seguia no banco de carona do Cruze e após os disparos ainda chegou a abrir a porta do carro, saiu do automóvel, mas não resistiu aos ferimentos e caiu ao lado do veículo. A mulher que dirigia o carro em que a vítima estava não foi localizada.

 

A vítima chegou a ser socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas, de acordo com os socorristas, não resistiu aos ferimentos e morreu no local. Os médicos informaram que ele foi atingido por pelo menos três tiros.

 

De acordo com os moradores do prédio, a caminhonete prata com placas de Pernambuco estava parada desde o início da manhã embaixo de uma árvore perto do prédio. No final da manhã, a vítima voltou para o apartamento e, ao descer do carro em que estava, a caminhonete se aproximou e homens que estavam dentro atiraram, fugindo em seguida.

 

O casal, segundo moradores do prédio, tinha alugado o apartamento há 15 dias e que o homem seria natural do estado de Pernambuco.

 

O corpo foi levado para a Gerência Executiva de Medicina e Odontologia Legal (Gemol), no bairro do Cristo Redentor, em João Pessoa.

 

 

 

 

Portal do Litoral

 

Notícias relacionadas

Mulher é presa pela PRF em CG após alugar veículo e não devolver

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) na Paraíba recuperou na tarde da última quinta-feira (13), no município de Campina Grande, um veículo com registro de apropriação indébita. Uma mulher foi detida…

Suspeito de tráfico é preso pela 3ª vez com drogas em JP

Uma operação realizada entre o Regimento de Polícia Montada (RPMont) e Coordenadoria de Inteligência (COInt) da Polícia Militar desarticulou um ponto de venda de drogas que funcionava em uma vila,…