Por pbagora.com.br

Em decisão ontem (07), a justiça paraibana, condenou a 22 anos de prisão Moisés Cordeiro, pelo crime de homicídio qualificado, por ter mandado executar com requintes de crueldade, impossibilidade de defesa e motivo torpe o empresário Cláudio Arruda.

A decisão teve a colaboração do trabalho da da Polícia Civil e do Ministério Público, através do Promotor Alexandre Varandas e dos assistentes de acusação Antônio Navarro, Marbele e Fábio Arruda. A decisão foi unânime pela condenação por 7 votos a 0 em audiência realizada nesta segunda-feira (07) no fórum criminal, em João Pessoa.

O executor Igor já havia sido condenado a 21 anos, por ter efetivado os disparos que ceifaram a vida de Cláudio Arruda, contudo, ainda havia de ser julgado o mandante do crime.

“Assim, há de se comemorar a JUSTIÇA feita através do conselho de sentença do 2° Tribunal do Júri Popular da Capital, que com unanimidade dos votos, fizeram Justiça. Agradeço a toda imprensa, pela cobertura de todo o ocorrido do dia do crime aos julgamentos”, disse Fábio Arruda, irmão da vítima.

 

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Suspeitos de praticar arrastões na orla são presos no bairro do Bessa

A Polícia Militar prendeu dois suspeitos de praticar assaltos na orla do Bessa e perto do Parque Parahyba II, no começo da manhã desta segunda-feira (10), em João Pessoa. Com…

Homem é preso pela PRF na Paraíba dirigindo embriagado

Polícia Rodoviária Federal (PRF) na Paraíba prendeu na tarde do último domingo (9), em Campina Grande, um motorista dirigindo embriagado após a realização de uma ultrapassagem perigosa na contramão em…