Em decisão ontem (07), a justiça paraibana, condenou a 22 anos de prisão Moisés Cordeiro, pelo crime de homicídio qualificado, por ter mandado executar com requintes de crueldade, impossibilidade de defesa e motivo torpe o empresário Cláudio Arruda.

A decisão teve a colaboração do trabalho da da Polícia Civil e do Ministério Público, através do Promotor Alexandre Varandas e dos assistentes de acusação Antônio Navarro, Marbele e Fábio Arruda. A decisão foi unânime pela condenação por 7 votos a 0 em audiência realizada nesta segunda-feira (07) no fórum criminal, em João Pessoa.

O executor Igor já havia sido condenado a 21 anos, por ter efetivado os disparos que ceifaram a vida de Cláudio Arruda, contudo, ainda havia de ser julgado o mandante do crime.

“Assim, há de se comemorar a JUSTIÇA feita através do conselho de sentença do 2° Tribunal do Júri Popular da Capital, que com unanimidade dos votos, fizeram Justiça. Agradeço a toda imprensa, pela cobertura de todo o ocorrido do dia do crime aos julgamentos”, disse Fábio Arruda, irmão da vítima.

 

Redação

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Bandidos são lixados por populares após assaltar turista em João Pessoa

Um assalto a um turista na Avenida Epitácio Pessoa, em João Pessoa, ontem (20), terminou mal para os acusados, quando populares deteram os dois homens e um adolescente e começaram…

Briga em bar em JP, termina com motorista atingido por bala perdida

Mais uma discussão, aparentemente por motivos banais, terminou com um motorista de aplicativo baleado durante atentado a outro homem, no bairro Funcionários, em João Pessoa. O crime aconteceu na noite…