O Tribunal de Justiça da Paraíba condenou Edvaldo João da Silva a uma pena de 17 anos e seis meses de reclusão, por ter abusado sexualmente de sua enteada, a época com apenas 11 anos de idade. O crime acontecia na própria residência. 

De acordo com a decisão, o réu cumprirá à pena em regime inicialmente fechado, pela prática do delito. No 1º Grau, o juiz entendeu que não havia provas suficientes para uma condenação. Inconformado, o Ministério Público estadual apelou, aduzindo que as provas carreadas aos autos, em especial o inquérito policial, o laudo sexológico, os depoimentos das testemunhas, na fase policial e em juízo, da vítima e da testemunha ocular, na fase inquisitorial, são suficientes para um decreto condenatório.

No voto, o desembargador Ricardo Vital ressaltou que estão devidamente comprovadas a materialidade e a autoria do crime descrito na denúncia, apesar de o laudo sexológico ter concluído pela não ocorrência de conjunções carnais recentes. "O crime encontra-se devidamente demonstrado, uma vez que, segundo o depoimento da vítima prestado na fase inquisitorial, o abuso consistia em atos outros que não o coito vaginal ou anal", disse o relator.

Ao concluir o voto, o relator registrou que a jurisprudência está consolidada no sentido de reputar preponderante, nos crimes contra a dignidade sexual, a palavra da vítima. "O acervo probatório comprova a materialidade e a autoria delitivas, principalmente a palavra da vítima, corroborada pelas outras relevantes provas acostadas ao caderno processual", enfatizou Ricardo Vital, ao reformar a sentença.

Pela decisão da Câmara Criminal, a pena terá início de cumprimento imediato, embora seja cabível recurso.

 

PB Agora
com informações do TJPB

 


Garanta um desconto especial na sua certificação digital no Juristas Certificados Digitais

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

PRF prende homem com quase 20 kg de maconha em Mamanguape

No fim da tarde deste sábado (18), a Polícia Rodoviária Federal na Paraíba, após abordagem a um veículo no Litoral Norte, flagrou o condutor de um veículo transportando aproximadamente 20kg…

Polícia prende mulher acusada de matar o marido no bairro Três Irmãs, em CG

A polícia prendeu na tarde de ontem (19), uma mulher suspeita de matar o marido a facadas, no bairro Três Irmãs, em Campina Grande, no Agreste paraibano. O crime aconteceu…