Os programas de combate à violência Estado Presente e Paraíba Unida pela Paz, ambos implantados por gestões socialistas no Espírito Santo e na Paraíba, respectivamente, estão entre as ações mais efetivas na redução do número de homicídios no Brasil.

É o que aponta a pesquisa Atlas da Violência 2018, divulgada na terça-feira (5) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

O levantamento mostra que o Espírito Santo saiu da 2ª posição para a 19ª no ranking dos estados mais violentos do país.

A pesquisa atribuiu o resultado à política pública de segurança implementada a partir do programa Estado Presente, lançado em 2011 pelo então governador socialista Renato Casagrande.

Já a Paraíba, foi da 3ª para a 18ª posição no ranking de estados mais violentos do país com o programa Paraíba pela Paz, também criado em 2011 pelo atual governador do estado, Ricardo Coutinho (PSB).

“Em nossos quatro anos de governo no Espírito Santo, fizermos concursos para aumentar o efetivo da Polícia Militar colocando seis mil novos policiais nas ruas, compramos viaturas novas e investimos em tecnologia. Também aumentamos o efetivo da Polícia Civil e do Corpo de Bombeiros”, explica Renato Casagrande, que governou o estado entre 2011 e 2015.

O socialista avalia, no entanto, que apesar dos bons resultados, os números da violência no estado e no país ainda são alarmantes. Em 2016, o Espírito Santo registrou 32 homicídios para cada 100 mil habitantes, taxa acima da média nacional, de 30 mortes por violência. “No Brasil, as grandes vítimas seguem sendo a juventude negra, com 71,5% de homicídios”, lamenta.

Na Paraíba, o Atlas da Violência aponta uma redução de 20,4% na taxa de homicídios, de 2011 a 2016, período analisado no levantamento. O estado registra o segundo menor índice do Nordeste, com uma média de 33,9 assassinatos para cada grupo de 100 mil habitantes.

No ano de 2016, a Paraíba foi a unidade da federação que obteve o maior redução de mortes violentas de jovens. Segundo o Atlas, a redução na taxa de homicídios de pessoas de 15 a 29 anos chegou a 15,6% em relação ao ano anterior.

Quando assumiu o governo estadual, Ricardo Coutinho criou, em 2011, o Núcleo de Análise Criminal e Estatística (Nace) para monitorar registros de crimes por meio de uma metodologia chamada multifonte.

Além disso, lançou o Programa Paraíba Unida pela Paz, que divide territorialmente a responsabilidade entre as forças de segurança do estado. A política pública busca reduzir o número de assassinatos, que chegou a crescer mais de 24% ao ano antes da gestão do socialista no estado.

A Paraíba está na contramão do que ocorre no país e principalmente no Nordeste, sendo o único estado da federação a acumular redução consecutiva de seis anos no número de assassinatos, afirmam gestores da área de segurança pública do governo.

Ele ressaltam ainda que os números continuam em queda no Estado. Segundo dados divulgados este ano pela área responsável, o índice de Crimes Violentos Letais Intencionais está abaixo de 30 por 100 mil habitantes.

 

Assessoria de Comunicação/PSB Nacional

Veja como adquirir a certificação digital para pessoa física sem burocracia

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Polícia prende suspeita de integrar quadrilha que atuava no tráfico de drogas

A Polícia Militar prendeu, na madrugada deste sábado (19), a terceira integrante da quadrilha que atuava em um esquema do tráfico que abastecia pontos de venda de drogas na Paraíba…

PRF prende mais um homem por tráfico interestadual de drogas

A Polícia Rodoviária Federal prendeu na noite de ontem, sexta-feira (18), um homem com 2 kg de cocaína durante abordagem no município de Mamanguape. Foi a segunda prisão no mesmo…