Após a sua prisão ontem (20), o homem suspeito de esfaquear a companheira, no estacionamento do Hospital de Trauma de Campina Grande, disse em depoimento à polícia que “queria fazer mal a ela”. De acordo com ele a técnica de enfermagem, não permite que ele cuide da filha de 2 anos, enquanto ela trabalha.

A delegada da mulher de Campina Grande, Maíra Roberta, informou que a vítima contou que não permite que o pai cuide da filha porque ele tem surtos psicóticos.  O crime aconteceu na manhã desta quarta-feira (20), quando a vítima chegava ao hospital para trabalhar quando foi surpreendida pelo homem. Ela foi atingida por golpes de faca nas costas, pescoço e cabeça.

Ela foi socorrida para a ala vermelha do Hospital, por onde passou por cirurgia e encontra-se internada na UTI. O estado de saúde é estável.  A vítima também informou que o casal estava junto e convivia na mesma casa, mas estava em processo de separação.

Já conforme informações de familiares ao hospital, a vítima estaria separada do homem há alguns anos.  O suspeito foi detido por seguranças da unidade de saúde, que acionaram a Polícia Militar. Ele está detido na carceragem da Delegacia da Mulher de Campina Grande.

 

Redação

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Polícia prende jovem suspeito de ter matado adolescente durante festa, na PB

A polícia prendeu neste sábado (14), um homem conhecido como “Douglinha”, de 20 anos que é apontado como o principal suspeito de ter matado u jovem de 25 anos e…

CG: suspeito é baleado durante tentativa de assalto a lanchonete

Uma tentativa de assalto a uma lanchonete na cidade de Campina Grande terminou com um dos suspeitos baleado, na noite dessa sexta-feria (13). Segundo as informações, o homem de 21…