Após a sua prisão ontem (20), o homem suspeito de esfaquear a companheira, no estacionamento do Hospital de Trauma de Campina Grande, disse em depoimento à polícia que “queria fazer mal a ela”. De acordo com ele a técnica de enfermagem, não permite que ele cuide da filha de 2 anos, enquanto ela trabalha.

A delegada da mulher de Campina Grande, Maíra Roberta, informou que a vítima contou que não permite que o pai cuide da filha porque ele tem surtos psicóticos.  O crime aconteceu na manhã desta quarta-feira (20), quando a vítima chegava ao hospital para trabalhar quando foi surpreendida pelo homem. Ela foi atingida por golpes de faca nas costas, pescoço e cabeça.

Ela foi socorrida para a ala vermelha do Hospital, por onde passou por cirurgia e encontra-se internada na UTI. O estado de saúde é estável.  A vítima também informou que o casal estava junto e convivia na mesma casa, mas estava em processo de separação.

Já conforme informações de familiares ao hospital, a vítima estaria separada do homem há alguns anos.  O suspeito foi detido por seguranças da unidade de saúde, que acionaram a Polícia Militar. Ele está detido na carceragem da Delegacia da Mulher de Campina Grande.

 

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Ação da PF prende três mulheres com 15 kg de cocaína nos Correios da capital

Uma ação coordenada pela Polícia Federal, nesta terça-feira (7), prendeu três mulheres enquanto recebiam 15 kg de cocaína em uma agência dos Correios, no bairro de Mangabeira, em João Pessoa,…

PRF na Paraíba prende homem foragido da justiça pelo crime de estupro

A Polícia Rodoviária Federal na Paraíba prendeu em João Pessoa, nessa terça-feira (07),um homem que estava com mandado de prisão em aberto pelo crime de estupro de vulnerável. A abordagem…