Três homens procurados pela Justiça foram presos, nessa quarta-feira (20), pela Polícia Civil. As ações ocorreram em João Pessoa e Santa Rita e tiveram o objetivo de cumprir mandados de prisão expedidos pelo Poder Judiciário.

O primeiro a ser preso foi Anderson da Santana Oliveira, de 27 anos. Ele foi localizado por equipes da 5ª Delegacia Seccional de Santa Rita, na região metropolitana de João Pessoa. De acordo com o delegado Reinaldo Nóbrega, Anderson foi condenado pela Justiça por prática de assalto e teve a prisão decretada.

Os outros dois presos foram localizados por equipes da Delegacia de Crimes Contra Pessoa da Capital (DCCPes). Eles foram identificados como Wanderley Santos Cavalcante e Fábio da Silva Ferreira e tiveram as prisões decretadas pela 1ª Vara do Tribunal de Júri da Capital.

Os dois respondem a processos individuais e são acusados de prática de homicídios, ocorridos em 2011 e 2013. Segundo o delegado Carlos Othon, titular da DCCPes, as prisões fazem parte da operação ‘In memoriam’, deflagrada com o objetivo de cumprir mandados de prisão referentes a casos considerados antigos.

“In memoriam significa em memória ou em lembrança de alguém. Com isso, a polícia segue com o projeto de cumprir mandados decorrentes de crimes praticados há muitos anos, mostrando que a Polícia Civil da Paraíba não tem memória curta”, destacou o delegado.

Os presos foram submetidos a exames de corpo de delito e encaminhados para a carceragem da Polícia Civil. Eles permanecerão no local até serem apresentados ao Poder Judiciário.

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

PM prende dupla suspeita de atuar no tráfico de drogas na cidade de Santa Rita

Durante rondas na cidade de Santa Rita, a Polícia Militar prendeu dois suspeitos de atuar no tráfico de drogas, na tarde deste domingo (29), no bairro de Várzea Nova. A…

Mulher é baleada em frente a sua casa no bairro Monsenhor Magno, em JP

Mais um caso de violência contra as mulheres, foi registrado na no início da madrugada deste domingo (29), no bairro Monsenhor Magno, em João Pessoa, quando uma mulher de 42…