Dezenas de documentos com indícios de falsificação foram apreendidos nessa quinta-feira (05) durante uma ação realizada pela Polícia Civil na cidade de Queimadas, no interior da Paraíba. Os trabalhos, que fazem parte de um inquérito policial, buscam investigar a atuação de um grupo criminoso que estaria agindo na região, produzindo atestados médicos e certificados escolares falsos.

Com autorização judicial,  os policiais civis realizaram buscas em três imóveis da cidade e apreenderam dezenas de folhas de atestados médicos em branco e  já carimbados, mas sem assinatura do médicos e certificados escolares em nome de colégios da região que não reconhecem os documentos como verdadeiros.

Ainda foram apreendidos três notebooks, que possuíam arquivos com criações de falsos documentos de RG e Carteira Nacional de Habilitação (CNH).  Não houve prisões. Os documentos foram apreendidos e serão submetidos à análises periciais. Porém as pessoas suspeitas de participar das fraudes serão intimadas para prestar esclarecimentos na delegacia.

Segundo o delegado Yaslei Almeida, da Seccional de Queimadas, os policiais ainda encontraram uma lista com nome de possíveis beneficiados pelos documentos falsificados.

“Na casa de dois alvos a polícia apreendeu, além de farto material suspeito (atestados, certificados, papéis timbrados, documentos escolares apenas com carimbos), também foi apreendido notebook com arquivos simulando carimbos de médicos e diretores de escolas da cidade de Queimadas e Fagundes. Também neste notebook foram encontrados arquivos que seriam as bases gráficas para montagem de documentos como RG e CNH”, informou.

As investigações estão sendo coordenadas pela delegada Diani Regina Barros Silva, de Queimadas.  Ela explicou que o trabalho começou há alguns meses, após a Polícia Civil ser procurada pela direção da cadeia pública da cidade. “Alguns presos estavam apresentando atestados médicos com assinaturas e carimbos de médicos que não atuam mais no hospital informado. No início deste ano, chegamos até a autuar em flagrante delito um preso que apresentou um documento nessa situação”, afirmou.

Se os crimes forem comprovados, os responsáveis poderão responder processos por prática de falsificação de documento público e falsidade ideológica.

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Vídeo: em tempos de Covid-19, comércio em Mangabeira em JP é alvo de arrastão

Neste período de pandemia devido ao coronavírus, uma preocupação vem sendo constante por parte dos comerciantes que deixam seus locais de trabalho abandonados devido ao isolamento social anunciado pelos entes…

PM deflagra Operação para garantir cumprimento de medidas de combate ao coronavírus na PB

Como forma de garantir as medidas de proteção da população e prevenção do novo coronavírus, a Polícia Militar deflagrou , na noite desta sexta-feira (27), a Operação Previna-se II. A…