Por pbagora.com.br

O falso médico preso no Sertão da Paraíba na quinta-feira (8), foi secretário de Saúde em Cruzeiro do Oeste, município do estado do Paraná. A informação foi divulgada nesta quarta-feira (14), no Jornal de Brasília.

De acordo com informações de Cláudio Humberto que assina uma coluna de mesmo nome no jornal, Lourenço Vieira (foto), que tem 51 anos, comandou a pasta municipal da Saúde por alguns anos durante a primeira gestão do prefeito Zeca Dirceu (PT), filho de José Dirceu, ex-ministro-chefe da Casa Civil do presidente Lula.

O falso médico, Lourenço Vieira, foi preso pela Polícia Federal (PF) de Patos, em Imaculada, município localizado no Sertão Paraibano.

De acordo com informações oficiais, Lourenço, atuava irregularmente como médico sanitarista em uma Unidade de Saúde da Família (USF).

As investigações começaram a partir de uma solicitação feita pela Prefeitura local através da Procuradoria Jurídica do Município, que forneceu importantes dados à Polícia Federal.

O falso médico foi preso na Unidade de Saúde da Família ‘Santo Agostinho’, no momento em que realizava atendimento ambulatorial. Na ficha do dia estavam agendados pelo menos 16 atendimentos, dos quais sete já haviam sido realizados.

De acordo com a PF, foram apreendidos com o falso médico diversos materiais, tais como: uma carteira do Conselho Federal de Química, blocos de receituários médicos, carimbos com números de CRM’s falsos e remédios ‘Cloxazolam’, de tarja preta .

O falso médico foi contratado pela Prefeitura Municipal de Imaculada em junho do ano passado e, desde então, vinha exercendo irregularmente a profissão naquele município como ‘médico plantonista’.

Investigações preliminares atestam que o autuado se utilizava de inscrição material e ideologicamente falsa do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo, conforme informação do próprio CRM/SP que assegurou que a inscrição utilizada ‘não atende ao padrão de documentos daquela instituição’.

O falso médico é natural de Sacramento, município de Minas Gerais, e a farta documentação apreendida no momento da prisão reforça a suspeita de prática irregular da medicina. Ele se apresentava como alguém que havia concluído o curso superior na Universidade Federal de Viçosa/MG. Porém, ao ser consultada, aquela instituição de ensino informou que o primeiro vestibular para o curso de medicina vai ser realizado apenas neste ano.

O auto de Prisão em Flagrante foi lavrado pelo delegado Gilmar Santos Lima e o preso será indiciado nas penas do art. 282 (exercício ilegal da medicina), 297 e 304 (falsificação e uso de documento público).

A prescrição de medicamentos sujeitos ao controle especial está sendo apurada e, caso se confirme, agravará a situação penal do acusado, uma vez que poderá ser enquadrado na Lei de entorpecentes.

 

Redação com assessoria PF e Jornal de Brasília

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Polícia prende grupo que tentou furtar loja e recupera peças de roupa e carro roubados

A Polícia Militar pôs fim às ações criminosas de um grupo suspeito de tentar furtar uma loja de roupas, no bairro do Padre Zé, em João Pessoa, na madrugada deste…

Mulher é presa ao usar documento falso para visitar presidiário em João Pessoa

Uma mulher foragida da Justiça do Estado do Ceará foi presa na tarde deste sábado (16) pela Polícia Civil da Paraíba, no momento em que realizava visitas íntimas a um…