Foto: Reprodução/TV Cabo Branco

O ex-zelador de uma escola particular foi condenado pela Justiça por participar dos casos de estupro praticados contra crianças e adolescentes dentro do banheiro do colégio. O julgamento aconteceu na última segunda-feira (14), em João Pessoa. A condenação foi de 24 anos e seis meses de reclusão em regime fechado.

No dia 11 de março, três adolescentes foram apreendidos em João Pessoa suspeitos de estuprarem uma criança de oito anos dentro de uma escola particular. As apreensões aconteceram em decorrência de mandados judiciais após processo que tramita em segredo de justiça desde maio de 2018. O ex-zelador suspeito de participar nos estupros foi preso no dia 15 de março.

Pelo menos quatro crianças e adolescentes foram tratadas como supostas vítimas do caso. A investigação seguiu em segredo em justiça.

Primeiro caso

A investigação começou em maio de 2018, com a denúncia da primeira vítima, uma criança de 8 anos, que disse ter sido estuprada dentro do banheiro do colégio Geo. O processo começou a tramitar em segredo de justiça desde o primeiro depoimento.

Os abusos vieram à tona após a mãe de uma das vítimas receber um aviso da escola que comunicava que o filho dela estava indo com muita frequência ao banheiro. Além disso, a criança também passou a ter um “comportamento agressivo e também choroso”. “Em conversa com a mãe, a vítima contou sobre os abusos e a investigação foi iniciada”, disse a delegada Joana D’arc Sampaio.

G1

Total
2
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Operação Natal Luz: juíza nega pedido para afastar vereadores de Santa Rita

Uma decisão da juíza da 1ª Vara Criminal de Santa Rita, Lilian Frassinetti Cananéa, rejeitou na noite de ontem (19), o pedido de afastamento de cargo dos 11 vereadores presos…

MPF investiga prefeitos no Sertão por supostos crimes no abastecimento

O Ministério Público Federal iniciou nessa ontem (19), uma série de investigações sobre irregularidades no abastecimento de água em cidades da Paraíba. Entre elas, estão contratos com suposto superfaturamento firmados…