A Paraíba o tempo todo  |

Cozinheiro paraibano pode ter sido morto na China

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

O corpo do renomado cozinheiro paraibano, Valdenir Augusto de Souza, morto na ultima quarta-feira(25) em Pequim na China, só deverá chegar a Paraíba no
próximo sábado(04), segundo informações de Ana Lucia, irmã de Loya. O corpo que está congelado, deverá passar por um processo de descongelamento e em
seguida receberá um produto químico que garantirá a conservação do corpo por 60 dias e só após será liberado para o traslado até o Brasil.

As primeiras informações chegadas a família davam conta que Valdenir, teria sofrido um acidente de moto, tendo traumatismo craniano e chegando a óbito.
Na ultima sexta-feira(27) em declarações a imprensa, a esposa do cozinheiro, Erivaneide Sousa, afirmou ter recebido um telefonema do esposo orientando a
mesma a fazer um seguro de vida, demonstrado segundo ela, muita tristeza e parecia convicto que iria morrer.

Desconfiança
A irmã do cozinheiro Loya, Ana Lucia, que reside em São Paulo, afirmou está desconfiada da versão de acidente, tendo em vista que segundo informações
preliminares, as câmeras não captaram as imagens da hora do acidente, tendo apenas imagens do cozinheiro já ao chão e do lado a moto que o mesmo
conduzia. Segundo Ana, a policia chinesa atestou a causa morte como sendo traumatismo craniano, mais segundo ela “é impossível que alguém bata com a
cabeça em uma arvore e não sofra ferimentos, como estão afirmando as autoridades policiais da China. Loya não bebeu, e saiu do trabalho para seu
apartamento, trafegando por entre as árvores, não acredito em acidente, frisou.

Ana Lucia clama a Embaixada brasileira na China, que interfira na apuração da morte do seu irmão, pois segundo ela, as explicações dadas não convencem
a família.O fato do cozinheiro paraibano está se destacando, levanta uma suspeita dos familiares de que Valdenir possa ter sido assassinado e não morto em
acidente como afirma a policia chinesa.

 

Assessoria

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe