A Paraíba o tempo todo  |

Caso Vivianny Crisley: júri condena réu a 26 anos de prisão por homicídio

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

26 anos de prisão em regime fechado. Esta foi a pena aplicada a réu Allex Aurélio Tomás dos Santos por matar a jovem Vivianny Crisley. O crime ocorreu no dia 20 de outubro, em Santa Rita. O júri popular aconteceu nesta quarta-feira (28), no Fórum de Santa Rita. A Defensoria Pública informou que não vai recorrer da decisão.

Além de Allex, Jobson Barbosa da Silva Júnior e Fágner das Chagas Silva também teriam cmetido o crime, no entanto, os dois últimos ainda serão julgados. O Ministério Público acusa o trio de homicídio duplamente qualificado, sequestro, ocultação de cadáver e furto qualificado pelo concurso de pessoas. O júri considerou todos os crimes.

De acordo com o promotor de Justiça Márcio Gondim, eles "mataram por vontade de matar". A sentença foi lida pela juíza Lilian Frassinetti Correia Cananea.

O CRIME

Vivianny, segundo a promotoria, oi golpeada no pescoço e na cabeça com uma chave de fenda e com uma chave-estrela. A agressão teria ocorrido ainda dentro do carro quando a vítima afirmou que queria ir embora. Os criminosos, ainda de acordo com a promotoria, conduziram a Vivianny a um lugar ermo, onde jogaram a gasolina em cima do corpo e atearam fogo.

A vítima passou três semanas desaparecidas até seu corpo ser encontrado o município de Santa Rita.

 

PB Agora
Foto: Reprodução/TV Cabo Branco

 

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe