A Paraíba o tempo todo  |

Caso Carlinhos Maia: Ferramentas usadas na invasão são apreendidas, mas joias não são encontradas

Material apreendido com suspeitos de furtar apartamento do Carlinhos Maia em Maceió — Foto: Erik Maia/g1

Com os três homens presos em Campina Grande (PB) suspeitos do furto ao apartamento de Carlinhos Maia e Lucas Guimarães, em um luxuoso prédio em Maceió, a polícia apreendeu equipamentos utilizados no crime: ferramentas, celulares, luvas, lanterna e uma escada retrátil. As joias e o relógio, avaliados em cerca de R$ 5 milhões, ainda não foram recuperados, segundo informou a Polícia Civil nesta terça-feira (7).

As prisões aconteceram na noite de segunda (6), em cumprimento a mandados expedidos pela 17ª Vara Criminal da Capital, e o trio foi transferido para a capital alagoana nesta terça (7). Os suspeitos foram identificados como Emerson de Holanda Lira, Wellington Medeiros da Silva Moraes e um terceiro homem que não teve o nome divulgado.

O inquérito ainda não foi concluído e os delegados que investigam o caso dizem que os três presos negam participação no crime. Ao g1, os advogados que representam os acusados disseram que não tiveram acessos aos autos nem a provas da investigação.

“Surpresa para a família e para a cidade, tendo em vista que ele é empresário e dono de uma reputação ilibada”, disse Evanildo Nogueira, responsável pela defesa de Wellington.

“Não tivemos nem acesso aos acusados”, afirmou Thiago Araújo da Silva, que representa Emerson e o terceiro preso.

 

G1/AL

 

PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe