A Paraíba o tempo todo  |

CADEIA: operação conjunta prende acusados de matar professor no litoral paraibano

Uma operação que envolveu policiais civis das Delegacias de Rio Tinto e
Mataraca, além de militares da 2ª Companhia da PM de Mamanguape, conseguiram
prender na tarde desta quarta-feira (12) três envolvidos no assassinato do
professor e proprietário de uma escolinha de futebol de Rio Tinto, Severino
Ferreira Ramos e ainda balear o ex-diretor da cadeia pública daquele
município, Marcos Humberto Cunha Lima e o ex-presidiário Geraldo Silva
Andrade.

Os presos foram o pedreiro Emerson do Nascimento, 19 anos; o detento do
regime semi-aberto Robson Barbosa Peixoto, 32 e presidiário do regime
fechado Rinaldo Anselmo de Jesus, o "Milgrau", de 29 anos. Todos já estão na
Cadeia Pública de Mamanguape. Um quarto envolvido continua foragido.

O delegado Ramirez Almeida São Pedro, de Rio Tinto, disse que desde a
ocorrência do crime, na noite de sexta-feira (7) iniciou as diligências após
tomar conhecimento de que um dos bandidos, Emerson, havia sido ferido por
Marcos Humberto e não procurou nenhum hospital.

Ao ser preso em sua residência, Emerson confessou participação no crime e
apontou outros quatro, sendo possível as prisões de "Milgrau" e Robson. O
delegado tem a certeza de que o alvo dos criminosos era o ex-diretor da
cadeia de Rio Tinto, Marcos Humberto.

Ramirez Almeida fez questão de ressaltar as importantes participações do
delegado Walter Brandão e equipes de policiais civis de Mamanguape, como
também os policiais militares da Companhia de Mamanguape.

*Relembre o caso* – O crime aconteceu por volta ds 19h de sexta-feira (7),
no conjunto Eduardo Fereira, em Rio Tinto. Marcos Hmberto, Geraldo e o
professor Severino Ferreira estavam conversando quando chegaram quatro
homens em duas motos e foram logo atirando. Severino morreu no local,
enquanto que Humberto e Geraldo foram socorridos para o hospital local.

Assessoria

PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe