Por pbagora.com.br

“Foi uma ação terrível, e a gente ainda tem de passar por isso. Graças a Deus que tudo acabou bem e estamos nos recuperando”. As palavras são do jornalista Valderedo Borba, na manhã de ontem, depois de ter sido atingido de raspão com um tiro na barriga e ter passado minutos de agonia, durante um assalto registrado no final da noite da última quarta-feira. Ele chegava em casa com a sua irmã, a jornalista e professora Carla Borba, em um automóvel Palio prata, de placas MNR-1884, no bairro do Catolé, em Campina Grande, quando foram abordados por dois bandidos armados.

A ação dos assaltantes, entretanto, havia começado horas antes. No início da noite, três homens armados em uma caminhonete Hilux prata, de placas não identificadas, interceptaram o carro da professora universitária Maria de Lúcia Costa, quando ela chegava próximo a uma faculdade particular localizada no Centro da cidade, na rua João Tavares. Após obrigarem a vítima a parar, dois dos bandidos desceram da caminhonete e sequestraram a professora.

A dupla seguiu levando a vítima dentro de seu próprio carro, um automóvel Honda Civic, de placas MNV-1041. No Centro da cidade, os bandidos foram até uma agência bancária e obrigaram a professora a fazer um saque no valor de R$ 1 mil. Não satisfeitos, os homens foram em direção ao bairro do Catolé e no caminho chegaram a agredir com coronhadas a vítima, fazendo várias ameaças. Ao chegarem à rua Miguel Rodrigues Dantas, os criminosos anunciaram o assalto aos jornalistas Carla e Valderedo Borba.

“A gente vinha chegando na minha casa de uma festa de formatura, por volta de 22h45. Quando Carla estacionou o carro em frente à residência percebemos que o outro veículo se aproximou, mas imaginamos que fosse o carro do vizinho. Minha irmã tentou fazer uma manobra no carro para colocá-lo para dentro, foi quando dois homens saíram de dentro do Honda Civic e anunciaram o assalto”, lembrou Valderedo Borba.

De acordo com a polícia, os bandidos desceram já atirando e um disparo atingiu de raspão Valderedo no abdômen, enquanto outro feriu Carla Borba no pescoço. No momento do assalto, os homens ainda roubaram um aparelho celular do jornalista, e seguiram com a professora Maria de Lúcia ainda como refém. Ela só foi libertada horas depois no bairro do Alto Branco, nas imediações da Empasa.

Policiais militares foram acionados e realizaram buscas à procura dos bandidos, mas não conseguiram localizar nenhum suspeito até a manhã de ontem. O veículo da professora foi levado pelos assaltantes e, após o assalto, os jornalistas Valderedo e Carla Borba foram socorridos para o Hospital da Clipsi e depois transferidos para o Hospital Antônio Targino.
 

Jornal da Paraíba

Notícias relacionadas

Foragido por estupro e tortura é preso pela PRF e Polícia Civil da PB

Ação conjunta entre a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e a Polícia Civil da Paraíba (PCPB) prendeu, na tarde da última quarta-feira (14), foragido da justiça pelos crimes de estupro de…

Ex-vice-prefeito de cidade paraibana é assassinado, no Sertão

No fim da manhã desta quinta-feira (15), o ex-vice prefeito da cidade de Brejo dos Santos, Edivan Guedes de Araújo, de 53 anos, foi assassinado no município de Paulista, no…