Mais um crime, que segundo informações da polícia pode ter sido por queima de arquivo, ocorreu ontem (06) em João Pessoa, quando um ex-detento foi assassinado a tiros, no bairro de Cruz das Armas, em João Pessoa. Moradores informaram a Polícia que ouviram dois disparos, e quando chegaram ao local encontraram o homem baleado.

O crime aconteceu próxima da 1º Delegacia Distrital, que fica na principal do bairro, no entanto, o local estava fechado.

Segundo a polícia, a vítima identificado  morreu no mesmo lugar onde dormia todos os dias. Os moradores contaram à polícia que ouviram dois disparos.

A Polícia Militar esteve no local. Em seguida, também chegou a Polícia Civil. A perícia foi feito com a área isolada e, em seguida, o corpo da vítima foi levado o Numol, na capital. Até a manhã desta sexta-feira (7), nenhum suspeito havia sido localizado.

O responsável pelo caso o delegado Paulo Josafá informou que o homem foi identificado como Marcos Honorato dos Santos, conhecido por "Moco dos Amarelo", e já cumpriu pena pelo crime de homicídio.

 

Duas facas-peixeira foram encontradas, uma ao lado do corpo e outra na cintura. A Policia Civil, através da Delegacia de Crimes Contra a Pessoa, vai investigar o caso para tentar localizar e prende o criminoso.

 

Redação

 


Saiba mais sobre Certificação Digital no Portal Juristas. Adquira seu certificado digital E-CPF ou E-CNPJ com a Juristas Certificação Digital. Entre em contato através do WhatsApp (83) 9 93826000

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Suspeito de matar vizinho com tiro na cabeça em Campina Grande é preso

Na tarde desta terça-feira (17) a polícia prendeu o homem de 33 anos suspeito de matar o vizinho com um tiro na cabeça, em Campina Grande. O crime aconteceu na…

PC suspeita de latrocínio de comerciante morto em JP tenha sido pelo próprio namorado

O empresário Aldeone Antunes Moreira de 32 anos foi encontrado morto dentro do apartamento onde morava no bairro João Paulo II, em João Pessoa. Amigos do empresário procuraram a polícia…