A sede do Centro Administrativo Municipal (CAM) de João Pessoa foi o local escolhido por dezenas de mães de crianças portadoras da microcefalia para protestar contra falta de auxílios por parte da gestão Luciano Cartaxo (P).

De acordo com Camila Sousa, a presidente da Associação Mães de Anjos (Amap), a rotina dessas mães tem sido dificuldade justamente pela ausência do acesso a alguns auxílios. O problema, segundo ela, já vai completar um ano. As maiores deficiências são a ausência de remédios e de cadeiras de rodas.

 “As mães deveriam ter recebido cadeiras de rodas adaptadas, para auxiliar na locomoção dessas crianças, que com o passar do tempo crescem e ficam maiores e mais pesadas. Mas não recebemos essas cadeiras até agora e cada vez mais fica complicado a locomoção para o tratamento”, disse.

O protesto surtiu efeito. As mães conseguiram ser recebidas por um representante da prefeitura e, na próxima segunda-feira (10), uma reunião com o secretário de saúde, Adalberto Fulgêncio, vai buscar solucionar o problema.

Até lá o grupo segue sem auxílios, tendo que contar apenas com a ajuda de terceiros para darem o mínimo de qualidade de vida aos filhos.

 

PB Agora

 


Certificado digital mais barato para advogados e contadores. Clique e saiba como adquirir

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

PM deflagra ‘Operação Alvorada’ contra assaltos em paradas de ônibus na Paraíba

Informações da Policia Militar da Paraíba (PMPB) destacam que foi deflagrada na manhã desta sexta-feira (23), a Operação Alvorada que tem como objetivo promover segurança às pessoas que estão saindo…

MP investiga: esquema de propina chegava até R$ 100 mil no Corpo de Bombeiros

O Ministério Público através do seu Núcleo de Controle Externo da Atividade Policial deflagrou hoje (23) uma operação em um prédio do Altiplano Cabo Branco, em João Pessoa. As primeiras…