Falsificação de documentos e a tenativa de se passar por advogada, essas são as acusações que recaem sobre um mulher detida nesta terça-feira (17) na Paraíba. De acordo com a polícia, além de não ser advogada, a suspeita não teria sequer graduação e nem registro na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

A mulher foi presa em em Campina Grande, no Agreste paraibano. Segundo a Delegacia de Repressão a Defraudações e Falsificações da Polícia Civil,  a mulher é funcionária pública e no momento da abordagem ela estaria portando diversos documentos públicos falsificados, dentre os quais escrituras públicas, formulários de atestado médico e diploma de curso superior. Em seu computador também foram encontrados diversos arquivos relacionados aos documentos falsificados.

A prisão aconteceu durante busca realizada na casa da suspeita no bairro de Santo Antônio. A polícia informou que a muler já estava sendo investigada por falsificação de registro civil.

Ainda de acordo com a polícia, a mulher presa já foi funcionária de cartórios, mas atualmente atuava de forma irregular como advogada. 

 

PB Agora

 

Veja como adquirir a certificação digital para pessoa física sem burocracia

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Gato em 4 propriedades de Boqueirão seria suficiente para abastecer 946 casas por 1 ano

Ontem, 22 de agosto, Energisa e Polícia Civil realizaram uma operação especial na zona rural de Boqueirão, região metropolitana de Campina Grande. A ação foi programada após o Centro de…

Pai e filho morrem afogados em barreiro na zona rural de Puxinanã

A zona rural de Puxinanã, no Agreste paraibano, foi palco de uma tragédia, no final da tarde de ontem, quinta-feira (22), após pai e filho morrerem afogados em um pequeno…