Desde que foi implantado em janeiro deste ano pela Superintendência de Trânsito e Transportes Públicos (STTP), o sistema de integração temporal por bilhetagem eletrônica em Campina Grande tem causado uma série de transtornos aos usuários que utilizam o meio para se locomover.

Pela proposta da STTP, a iniciativa permitirá ao usuário trocar de ônibus, em qualquer parada da cidade, com o pagamento de uma única passagem, dentro de um intervalo de 1 hora e 10 minutos. Só que muitas pessoas tem reclamado que a catraca tem cobrado duas passagens entre um descocamento e outro.

O passageiro que utiliza o cartão de passagem “Vale Bus Card” paga R$3,60 por cada tarifa. A meia entrada para estudantes passa a custar R$1,80 com esse aumento. O valor da passagem em dinheiro custa R$3,70.
Só que o que antes eram algumas reclamações esporádicas vivou uma insatisfação generalizada. Para surpresa dos usuários, boa parte da frota falhou nesta quarta-feira (17), e registrou a cobrança de duas passagens em menos de 30 minutos. A suposta “pane” no sistema causou revolta aos usuários que pagaram R$ 7,20 para chegar ao seu destino nesta manhã.

A reportagem do PB Agora flagrou o momento em que usuários que contavam com a integração temporal se revoltaram e registraram, em vídeo, a cobrança duplicada.

Ao passar o cartão no validador dentro do ônibus, a segunda tarifa não apareceu zerada e o acesso na catraca foi liberado com duas passagens cobradas.

A insatisfação foi total, e muitos usuários se sentiram lesados e ameaçaram pular a roleta para não ter que pagar duas passagens. No posto do Sindicato das Empresas (Sitrans), instalado dentro do Terminal de Integração de Passageiros, muitas pessoas reclamavam da cobrança indevida e exigiam explicações ou a devolução do dinheiro.

Alguns motoristas orientaram os passageiros a procurarem a STTP e o Sitrans para buscar explicações visto que o sistema estava cobrando duas passagens no tempo interior aos 70 minutos previstos. Em um ônibus 550, que faz a linha Terminal Rodoviário ao Centro, passando por vários bairros, os usuários perceberam o desconto de duas passagens.

Dentro do Terminal de Integração, muitos estudantes e comerciantes procuravam explicações dos fiscais pela cobrança dobrada no cartão de bilhetagem eletrônica. Um tumulto chegou a ser formado. No ônibus 303, que faz a linha Centro hospital da FAP e Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), todos os usuários pagaram duas passagens, e reclamaram da “falha” no sistema, na troca de coletivo.

“Um absurdo. Nós estamos sendo lesados. Vamos reclamar a quem dessa imoralidade” clamou uma servidora pública, com o celular na mão, e gravando um vídeo para registrar a falha.

A servidora Poliana Bezerra relatou que essa não foi a primeira vez que a catraca registra duas passagens em menos de meia hora.

O projeto do integração temporal foi proposto pelo prefeito Romero Rodrigues no dia 27 de janeiro, deste ano durante uma reunião do Conselho Municipal de Transportes Públicos (Comupt), como uma alternativa ao aumento da tarifa de ônibus. Os usuários também reclamam da desativação do Terminal de Integração, e na demora dos coletivos desde que o sistema começou a funcionar.

Campina Grande tem pouco mais de 200 ônibus operando na cidade, em um sistema que registrou em 2018, 22 milhões de viagens, 6 milhões a menos que em 2017.

De acordo o superintendente da STTP, a proposta de integração temporal visa atrair mais usuários.

 

Severino Lopes
PB Agora

Total
33
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Mulher se afoga e morre em piscina de condomínio em JP; enterro será hoje

O que era para ser um dia de lazer terminou em tragédia para uma jovem de 27 anos, neste sábado (19), em João Pessoa. A vítima, de nome Agda, tomava…

Vereador paraibano é espancado e acusa adversários pelo ataque

O vereador Pablo Dantas, da cidade de Tavares, Sertão paraibano, revelou no último final de semana que foi espancado e que só teria se livrado de ser morto pelos algozes…