Por pbagora.com.br

O vereador Luís Flávio (PSDB), em entrevista ao ‘Jornal da Câmara’ na manhã desta terça-feira (4), declarou ser contrário ao exercício da profissão de taxista pelos motociclistas da cidade de João Pessoa. O parlamentar acredita que não seja uma solução adequada para solucionar os problemas do trânsito na cidade. O ‘Jornal da Câmara’ é transmitido ao vivo, de terça a quinta-feira, sempre a partir das 9h, pela ‘TV Câmara’, Canal 23 da Big TV.

“Acredito que os motociclistas vão fazer pressão aqui na Casa, mas já existe uma lei municipal para algumas atividades que os motoqueiros podem exercer. E o exercício da profissão de mototaxista provavelmente pode intensificar os acidentes. E os acidentes de moto geralmente são muito graves. Eu como médico tenho muita experiência em atendimentos de acidentes e já vi muitos acidentes intensamente graves. E os motociclistas podem exercer outras atividades”, enfatiza o vereador.

Durante a entrevista, o parlamentar ainda salientou que o transporte público de João Pessoa é muito bom e o que se necessita é construir novos corredores para desafogar o trafego intenso da cidade, que está em constante evolução. Ele acrescenta que a redução do Imposto sobre os Produtos Industrializados (IPI) intensificou a compra de veículos. Luís Flávio acredita que uma solução poderia ser a criação de linhas de metrô de superfície para fazer a ligação de diversos bairros da Capital, além de ciclovias para facilitar o transporte de muitos trabalhadores que usam bicicletas para irem ao trabalho.

Saúde pública

Na entrevista, o parlamentar ainda tratou de diversas questões sobre a saúde pública da população da Capital, como, por exemplo a aprovação do Plano de Cargos Carreira e Remuneração (PCCR) dos servidores da área de saúde da cidade, que ocorreu na primeira gestão da atual administração, acrescentando que ainda falta a inclusão da insalubridade já solicitada à secretária municipal da Saúde, Roseane Meira, e que aguarda resposta.

“Apesar do prefeito Ricardo Coutinho (PSB) estar investindo em diversas reformas de hospitais e maternidades, fazendo uma arrumação na área da saúde, precisamos aumentar mais os serviços de saúde na rede filantrópica ou até em redes particulares. Pois a Maternidade de Mangabeira, assim como o Pronto Socorro do Santa Isabel, não atendem urgências” ilustrou Luís Flávio.

De acordo com o vereador, a municipalização da saúde fez com que os municípios maiores ficassem sobrecarregados, como ocorre com a cidade de João Pessoa, recebendo pacientes de diversos outros municípios, inclusive municípios com gestões plenas de saúde, que possuem autonomia financeira na área de saúde. O vereador ainda lembra que os hospitais regionais poderiam suprir essas necessidades com os consórcios municipalizados de saúde.

O vereador ainda ressalta a situação dos servidores da saúde que passaram no último concurso público e que estão esperando por uma decisão de Brasília sobre a situação, questionada pela Prefeitura de João Pessoa.
 

 

CMJP

Notícias relacionadas

Bruno faz três importantes solicitação ao ministro Marcelo Queiroga para Saúde de Campina Grande

Prefeito pede a ampliação da imunização a todos os profissionais de saúde no Município, mais medicamentos e R$ 4,6 milhões para atendimento oncológico O prefeito Bruno Cunha Lima formulou oficialmente…

Covid: PMJP aplica 2ª dose da vacina em pessoas com 78 anos ou mais

A Prefeitura de João Pessoa vai concentrar o atendimento na aplicação da dose de reforço da vacina Coronavac/Butantan para pessoas com 78 anos ou mais, neste sábado (17). Serão abertos…