Por pbagora.com.br

O Senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB-PB) afirmou, em entrevista à imprensa paraibana, que não vai tripudiar com o episódio da merenda escolar em Campina Grande. Ele disse apenas que deseja que sejam apuradas as denúncias, mas que prefere não entrar na polêmica em torno da “Operação Famintos” para não dar a impressão de que pretende tirar alguma vantagem política do caso, denunciado pelo Ministério Público Federal.

Veneziano disse que não iria adotar o mesmo comportamento dos seus adversários durante os sete anos seguintes à sua saída da Prefeitura, após o término do seu mandato, quando diziam que ele era alvo de 29 representações, e que não seria mais candidato pois ficaria inelegível.

“Não vou fazer o que fizeram comigo no passado. Foram 29 representações que eles fizeram contra minha gestão no STF (Supremo Tribunal Federal) e 28 foram arquivadas. E a última que restou só não foi apreciada pelo STF, por força do julgamento que rediscutiu o foro privilegiado. Não vou fazer discurso político. Eles urdiram um discurso para, em 2016, levarem a opinião pública ao descrédito da minha postura e do meu nome. Eu, uma a uma, sem absolutamente mudar a linha de comportamento, educado, defendendo-me e mostrando que não se passava, senão, de ardis e manipulações e construções contra a minha pessoa”, ressaltou.

O Senador observou que o assunto é extremamente delicado, e que todos as pessoas, sejam as que tiveram prisões decretadas, ou sejam apenas apontadas e citadas supostamente na Orcrim (Organização Criminosa) da Merenda em Campina Grande, tem o direito de apresentar suas linhas de defesa e fazer as suas devidas explicações.

“Não dá para fazer nenhum tipo de juízo de valor e simplesmente já condenar. Está aqui quem sofreu na pele, dos meus adversários”, disse.

No entanto, Veneziano lamentou a gravidade das denúncias que apontam para o desvio de mais de R$ 13 milhões de recursos destinados à merenda escolar de crianças e jovens das escolas e creches mantidas pela Prefeitura de Campina Grande e disse que todas as denúncias devem ser apuradas criteriosamente e se houver crime, com apontam os indícios, que os culpados sejam punidos.

Assessoria de Imprensa

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

TRF condena e deixa inelegível ex-prefeito de Cacimba de Dentro

O Tribunal Regional Federal da 5ª Região em Recife/PE, condenou o ex-prefeito de Cacimba de Dentro, Edmilson Gomes de Souza e a sua irmã, Mônica Lúcia Gomes de Souza, que…

Bayeux: com guerra de decisões intervenção pode ser única saída

Cidade já passou pelo comando de quatro prefeitos em menos de quatro anos de gestão Insegurança jurídica, instabilidade administrativa e futuro incerto. A cidade de Bayeux, município da região metropolitana…