Por pbagora.com.br

Os planos do ex-governador Ricardo Coutinho (PSB), de viajar semanalmente para Brasília à trabalho, foram barrados pelo desembargador Ricardo Vital de Almeida que rejeitou o agravo interno protocolado por Coutinho contra a cautelar imposta pela Corte que o impede de se ausentar da comarca de João Pessoa.

O pedido de Ricardo era para obter autorização para voltar a trabalhar presencialmente na Fundação João Mangabeira, mantida pelo Partido Socialista Brasileiro, mas, para isso seria necessária a revogação da medida cautelar que o proíbe de se ausentar da comarca sem prévia autorização judicial. No recurso analisado e com decisão monocrática do desembargador Ricardo Vital, o ex-gestor questionava decisão adotada anteriormente.

Na publicação desta sexta-feira (17) do Diário da Justiça, o desembargador Ricardo Vital diz que caberá ao ex-governador buscar o recurso vertical para o pedido relacionado à proibição de deixar a comarca sem autorização judicial.

Ricardo foi preso na sétima fase da Operação Calvário, batizada de Juízo Final e conseguiu um habeas corpus para deixar a prisão dois dias depois. Atualmente ele cumpre prisão domiciliar monitorada pelo uso de tornozeleira eletrônica.

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

João alerta que publicação de Protocolo não significa que aulas presenciais vão voltar imediatamente na Paraíba

Foi divulgado nesta sexta-feira (25) um decreto que estabelece diretrizes para o retorno das aulas presenciais na dos sistema educacionais da Paraíba e demais instituições de ensino superior. O decreto…

Quatro bairros de João Pessoa ficam sem água nesta sexta-feira

A Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) vai precisar interromper o abastecimento de água nesta sexta-feira (25), das 7h às 21h, em cinco bairros de João Pessoa: Polo…