Por pbagora.com.br

 TCU condena ex-prefeito Achilles Leal, atual superintendente do Ideme, por desvios de até R$ 2 milhões

O Tribunal de Contas da União (TCU) condenou o ex-prefeito de Mulungu (PB) Achilles Leal Filho a pagar R$ 584.044,82, valor atualizado, por não prestar contas de recursos federais repassados ao município para a construção emergencial de 195 casas populares para atender a famílias desabrigadas. O ex-prefeito ainda deve pagar solidariamente com a empresa Transamérica Construtores Associados Ltda. R$ 2.004.335,64, valor atualizado. A verba foi repassada pelo Ministério da Integração Nacional.

Uma auditoria constatou que apenas 44 casas foram concluídas. Havia casas inacabadas e outros não foram localizadas. Os responsáveis não se defenderam das acusações.

“A responsabilidade pela reparação deste dano deve ser imputada a Achilles Leal Filho, gestor dos recursos conveniados, solidariamente com a referida empresa. É que, embora tenha recebido recursos financeiros para a construção de 195 casas populares, a empresa Transamérica Construtora Associados Ltda. concluiu apenas 44 unidades, configurando recebimento de recursos sem a correspondente contraprestação de serviços”, afirmou o ministro relator Augusto Nardes.

“Por outro lado, a inspeção realizada pelo órgão concedente apurou, também, que as 44 unidades habitacionais concluídas foram doadas a pessoas que já possuíam imóveis e posteriormente vendidas. Considerando que essas unidades deveriam ter sido entregues a famílias desabrigadas pelas enchentes que assolaram a região em 2004, restou caracterizada a ocorrência de desvio de finalidade na aplicação dos recursos”, continuou o ministro.
O ex-prefeito ainda foi multado em R$ 100 mil e a empresa em R$ 80 mil. O TCU encaminhou cópia da decisão à Procuradoria da República no Estado da Paraíba. Cabe recurso da decisão.
 

 

Da Redação

Notícias relacionadas

PMCG não terá expediente na próxima quarta, feriado de Tiradentes

Secretário lembra que servidores municipais trabalharam normalmente o feriado da pandemia decretado pelo Estado A Prefeitura de Campina Grande, através da Secretaria de Administração, esclarece à população em geral que,…

MPF pede prioridade de vacinação para tabajaras e índios não aldeados

O Ministério Público Federal (MPF) solicitou à Secretaria de Estado da Saúde da Paraíba (SES-PB) e ao Distrito Sanitário Especial Indígena Potiguara (DSEI Potiguara) a vacinação contra a covid-19 para…