A Segunda Câmara do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB) decidiu pela manutenção da suspensão do contrato entre a Prefeitura de São Bento e banda Xand Aviões, firmado no valor de R$ 250 mil, após análise técnica identificar sobrepreço na contratação. A suspensão cautelar referendada pela Segunda Câmara na terça-feira (3) tinha sido definida pelo conselheiro, relator do processo, Antônio Cláudio Santos, no final de fevereiro.

De acordo com a decisão do Tribunal, foi percebida uma média de contratação no valor de R$ 186 mil, tomando como base contratos firmados com o mesmo artista por outras três prefeituras paraibanas. As prefeituras de Princesa Isabel, Mamanguape e Boqueirão contrataram o mesmo artista em 2019 por R$ 170 mil, R$ 180 mil e R$ 210 mil, respectivamente.

“Ao confrontarmos o valor contratado através do processo administrativo de inexigibilidade em análise (R$ 250.000,00) com o preço médio praticado pela empresa contratada junto a outros entes públicos conclui-se que o preço contratado está acima da média do mercado em R$ 63.333,33”, informa o relatório da auditoria.

Além do sobrepreço identificado pela auditoria, os técnicos do TCE-PB apontaram ausência de justificativa de preço e pagamento antecipado da despesa pública sem a regular liquidação da mesma.

A investigação mostrou que a atração musical “Banda Xand Avião” tinha sido contratada para realização de um show em praça pública, com duração de uma hora e quarenta minutos, a ser realizado no dia 02 de setembro de 2020, em alusão as festividades da tradicional “Expotextil São Bento 2020”.

PB Agora com G1

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Supermercado terá que indenizar cliente que teve carro furtado em estacionamento

Um supermercardo localizado no bairro da Torre, em João Pessoa, foi condenado a pagar a importância de R$ 3.000,00, a título de danos morais, em virtude do furto ocorrido dentro…

Lei proíbe operadoras de telefonia de restringir ligações para o INSS

O presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), Adriano Galdino, promulgou a Lei 11.726/2020, de autoria do deputado Bosco Carneiro, que veda as operadoras de telefonia móvel do Estado bloquear…