Nesta quarta-feira (05), o Superior Tribunal de Justiça (STJ) manteve o afastamento dos conselheiros Nominando Diniz e Arthur Cunha Lima do Tribunal de Contas do Estado. A decisão foi do ministro Francisco Falcão.

Segundo relator, a decisão foi dada em receio de que, no exercício de suas funções públicas, os Conselheiros possam vir a praticar crimes, além dos quais estão sendo investigados. O ministro argumentou que “não se pode afastar, ainda, a hipótese de que, permanecendo nos cargos, os investigados possam interferir nas apurações, mediante a destruição/ocultação de provas, influenciando ou intimidando possíveis testemunhas com conhecimento dos fatos apurados”.

Ainda segundo a decisão, Nominando e Artur Cunha Lima estão proibidos de ter acesso às dependências do TCE, além de manter contato com funcionários da órgão.

Eles foram afastados por 120 dias após determinação da Operação Calvário, que aponta que os conselheiros teriam facilitado, em troca do recebimento de pagamentos indevidos, a aprovação das contas da Cruz Vermelha, organização social contratada pela gestão do ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) para gerir a saúde da Paraíba.

 

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Grupo rende vigilante no centro de convenções e rouba arma, em JP

Na tarde deste sábado (15), quatro homens armados renderam e roubaram a arma de um vigilante no Centro de Convenções de João Pessoana, PB-008, em Jacarapé. De acordo com a…

Secretário acredita em acordo com entidades para evitar greve das polícias

Em meio a possibilidade de uma greve das categorias responsáveis pela Segurança Pública do Estado, o secretário da Pasta, Jean Nunes, torce pelo êxito das negociações com as entidades das…