Por pbagora.com.br

A prefeita do município de Conde, Márcia Lucena (PSB), tentou, mas teve o pedido para se livrar da tornozeleira eletrônica negado pelo Superior Tribunal de Justiça. A relatora da Operação Calvário, ministra Laurita Vaz, decidiu que a gestora deve permanecer com o equipamento, cujo uso foi determinado desde o carnaval pelo desembargador Ricardo Vital de Almeida, do Tribunal de Justiça da Paraíba.

Na decisão para negar o pedido, a ministra em juízo preliminar, alegou que não verificou qualquer tipo de ilegalidade na decisão do desembargador.

“Tal entendimento não se mostra, prima facie, desprovido de razoabilidade, notadamente diante da dimensão da suposta organização criminosa e do número de Investigados, já denunciados, que tiveram a prisão preventiva substituída por medidas diversas”, ressaltou.

O monitoramento eletrônico, além de permitir a fiscalização do cumprimento das medidas cautelares pelos investigados, é adequada para ‘asseguramento da ordem pública, levando em consideração a complexidade da organização criminosa sob investigação, evidenciada pelo número de integrantes e pela presença de diversos núcleos de atuação’.

 

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Prefeito da Paraíba é diagnosticado com Covid-19 e transferido para SP

O prefeito do município de Brejo do Cruz e esposo da deputada estadual Pollyanna Dutra, Francisco Dutra, foi transferido para o Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da FMUSP…

Café Savory, da São Braz, é eleito o melhor café gourmet do Brasil

No 16º Concurso Nacional da Associação Brasileira da Indústria de Café, o Café Savory, da empresa paraibana São Braz, venceu como o melhor café gourmet torrado e moído de grande…