Foto: Carlos Moura/SCO/STF

O Supremo Tribunal Federal (STF) comunicou nesta quarta-feira (27) à Assembleia Legislativa o trânsito em julgado da ação movida pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) que pedia que fosse declarada a inconstitucionalidade da lei estadual de 2006 que criou a pensão para os ex-governadores.

No total, a pensão paga aos ex-gestores estaduais e viúvas onerava os cofres públicos da Paraíba em R$ 3,1 milhões por ano.

A lei foi considerada ilegal em outubro de 2018, mas houve recurso da Assembleia Legislativa que foi rejeitado pelo Supremo e o acórdão da ação foi publicado no dia 18.

De acordo com a Procuradoria da ALPB, foi decisão da Casa não recorrer da rejeição, já que o entendimento é de que a parte que cabia ao Poder Legislativo já havia sido exercida.

Ao todo, 15 ex-governadores e viúvas de ex-governadores deixarão de receber o beneficio.

Veja a lista:

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Opinião: diferente de Brasília, os três Poderes na PB vêm trabalhando juntos no combate à Covid-19, como conta Alice

O livro conta a história de uma menina chamada Alice que cai numa toca de coelho que a transporta para um lugar fantástico povoado por criaturas peculiares e antropomórficas, seguindo…

Vídeo: João não descarta retrocesso da flexibilização caso contaminação aumente

O governador da Paraíba, João Azevêdo, usou seu perfil numa rede social para anunciar mais uma etapa no plano de retomada da economia. Esta é a terceira fase de avaliação…