O Sindicato da Indústria da Construção e do Mobiliário do Estado da Paraíba (Sinduscon-PB) disponibilizou assistência de todo o setor da construção civil para a Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa), diante dos transtornos no abastecimento de água em Campina Grande e em mais de oito municípios.

O desabastecimento nos nove municípios foi causado por uma pane elétrica que impediu por completo o funcionamento Estação de Tratamento de Água (ETA) de Gravatá, na noite da última sexta-feira (15), avariando equipamentos, quadros de comando e todo o sistema elétrico do local. A estimativa inicial é de que o prejuízo já supera os R$ 4 milhões.

Em ofício encaminhado à companhia, o presidente do Sinduscon-PB, Helder Campos Pereira, ofereceu suporte profissional e apoio logístico, reforçando as ações emergenciais da Cagepa para recolocar o sistema de abastecimento de água na região em pleno funcionamento. 

No documento, o presidente Helder Campos destacou que “diante desse quadro (…), queremos apresentar a disponibilidade de todo o setor de construção civil para, unidos, conseguirmos a solução desta dificuldade no menor espaço de tempo possível”.

Investigação

A causa da pane no sistema elétrico da ETA de Gravatá ainda está sendo averiguada. A Polícia Civil está à frente das investigações e a Cagepa também apura o caso administrativamente, por meio de uma sindicância já instalada. 

“Não descartamos nenhuma possibilidade até então, inclusive de vandalismo. Em 50 anos de empresa, uma ocorrência nessas proporções nunca havia sido registrada antes. O prejuízo para a Cagepa foi enorme. Foram vários transformadores danificados, quadros de comando, entre outros equipamentos. Isso sem contar no prejuízo imensurável para a população, que encontra-se com o abastecimento de água reduzido”, disse em coletiva de imprensa o presidente da Cagepa, Marcus Vinícius Neves.

Plano de contingência
Para minimizar os transtornos à população de Campina Grande, a Cagepa lançou na manhã da última terça-feira (18) um plano de contingenciamento com o objetivo de distribuir água por zonas da cidade.

“Conseguimos reestabelecer parcialmente o funcionamento da estação e, com isso, distribuir algo em torno de 35% da vazão normal. Como a produção é insuficiente, optamos por dividir a cidade em duas áreas”, explicou o presidente da Cagepa. “Seguimos trabalhando com a previsão de concluir os serviços na estação elevatória da ETA de Gravatá até o final da noite desta sexta-feira (22)”, completou.

Carros-pipa

Ontem (20), o governador João Azevedo autorizou a contratação de mais 50 carros-pipa para atender o município de Campina Grande até que o sistema de abastecimento de água consiga operar normalmente.

“Só na noite de ontem, foram mais de dez abastecimentos feitos na rede hospitalar e de saúde pública. Durante todo o dia de hoje, os carros-pipa já estiveram em diversas comunidades, como no Acácio Figueiredo, Major Veneziano, João Paulo II, Ramadinha, Jardim Menezes e conjuntos Ronaldo Cunha Lima e Raimundo Suassuna”, pontuou o presidente da Cagepa.

Redação

 


Garanta um desconto especial na sua certificação digital no Juristas Certificados Digitais

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

15 novas lombadas eletrônicas: Dnit prevê aumento de multas na PB

Quinze lombadas eletrônicas começaram a multar na cidade de Cabedelo e região metropolitana de João Pessoa. De acordo com o superintendente substituto do Departamento Nacional de Infraestrutura (Dnit) na Paraíba,…

Menina de 4 anos morre após ingerir veneno de rato, na Paraíba

Uma menina de 4 anos morreu na tarde da quinta-feira (22) após ingerir veneno de rato, em Patos, no Sertão paraibano. De acordo com a direção do Hospital Infantil Noaldo…