Por pbagora.com.br

Sindipetro-PB nega cartelização na grande João Pessoa e decide ir à justiça contra o Procon

O presidente do Sindicato do Comercio Varejista de Derivados de Petróleo no Estado da Paraíba, Omar Hamab, em entrevista ao portal PB Agora, negou a existência de cartelização dos combustíveis na Grande João Pessoa e anunciou que os donos de postos autuados pelo Procon Municipal irão recorrer na justiça.

Segundo Omar Hamab, a gasolina, por exemplo, é encontrada entre 2,34 e 2,69 nos postos da Região Metropolitana.

“Isto prova que não há cartelização. Não sei aonde o Procon quer chegar”, disse o presidente.

“Quando subimos o preço somos autuados, quando reduzimos também. Sendo assim, o que vejo é apenas pirotecnia por parte do Procon”, desabafou.

Ainda segundo Omar, a Paraíba tem hoje o combustível mais barato do Brasil.

“A Agência Nacional do Petróleo sugere lucro bruto de 20% na revenda de combustível. Na Paraíba, trabalhamos com margem entre 3 a 5%”, esclareceu.

Thiago Moraes

Notícias relacionadas

Covid: Paraíba registra a menor taxa de ocupação de leitos desde o início de março

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) registrou, nesta segunda-feira (19), 904 casos de Covid-19. Entre os confirmados hoje, 37 (4,09%) são casos de pacientes hospitalizados e 867 (95,90%) são…

Covid: com redução de casos, PMCG autoriza UPA a atender pacientes com outras doenças

Bruno anunciou a desabilitação da UPA para atendimento a pacientes com covid-19 e Complexo Hospitalar Municipal Pedro I volta a ser a referência para atendimento inicial O prefeito Bruno Cunha Lima anunciou…