Foi oficialmente assinada, pelo presidente Jair Bolsonaro, a Medida Provisória que permite a contratação de servidores aposentados e militares da reserva para atuarem no INSS.

Contudo, a publicação da Medida deve ser publicada no Diário Oficial da União apenas na semana que vem, ou seja, início de março. O objetivo desta decisão é ajudar na redução das filas de pedidos em espera no INSS.

Ex-servidores do órgão serão contratados para atuar na parte de triagem de pedidos e análise de processos. Vale ressaltar que os mais prejudicados pela demora nas filas são os deficientes físicos, que precisam do Benefício de Prestação Continuada, o BPC.

Só em janeiro, 475 mil pedidos estavam na fila. O tempo médio de espera hoje é de 251 dias, mais de oito meses e muito acima dos 45 dias que a lei estabelece para concessão de benefícios.

No mês de janeiro, o governo anunciou que iria editar a tal Medida para permitir a contratação emergencial de militares da reserva e servidores aposentados. A ideia era que começassem a trabalhar entre março e abril, após um treinamento.

Para justificar as contratações, o INSS enviou ao Tribunal de Contas da União um detalhamento da situação. O órgão diz que precisa de mais 9.100. Dois milhões de pessoas aguardavam a análise de benefícios em janeiro.

 

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

João anuncia retomada de mais de 200 obras suspensas na pandemia

Embora esteja concentrado em conter o avanço do novo coronavírus, o governador João Azevêdo (Cidadania) anuncia nesta segunda-feira (6), o plano de retomada de mais de 200 obras no Estado.…

Veneziano consegue empenhar emenda de R$ 14,3 milhões para Centro de Convenções de CG

O senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB-PB) conseguiu empenhar R$ 14.324.000,00 (Quatorze Milhões, Trezentos e Vinte e Quatro Mil Reais) de sua emenda de bancada para garantir o início das…