Por Wellington Farias

Se eleito prefeito de João Pessoa, Cícero Lucena (MDB) estará com João Azevêdo (Cidadania) em 2022?

Antes de qualquer prognóstico, algumas observações:

O costume de jornalista tentar adivinhar o futuro político traçando projeções acerca dos desdobramentos dos fatos quase sempre é um tiro no pé.

Tenho um fabuloso arquivo de programas jornalísticos, análises e debates políticos até dos mais categorizados analistas da Paraíba e do Brasil. E quando a gente vai revê-los, morre de rir com a distância entre os prognósticos traçados e os fatos acontecidos posteriormente.

Só um exemplo: A Coluna do Castelo do festejado Carlos Castello Branco, o Castelinho, sobre o governo Collor é de você morrer de rir, se comparada com aquilo que aconteceu de fato.

O problema é que as análises e projeções são feitas a partir das evidências de determinado momento político, mas que são totalmente perecíveis por força da dinâmica da política.

Desculpa

O nobre leitor já deve estar imaginando: “Esse pitaqueiro tá querendo justificar alguma derrapada na sua nova tentativa de adivinhar os fatos!”.
É verdade!

Mas, convenhamos, os políticos, partidos, marketeiros, sociólogos e historiadores também incorrem no mesmo erro quando tentam adivinhar o futuro da política.
Mas vamos ao pitaco que interessa:

Cícero e João

Ainda está começando o segundo turno das eleições, e os analistas, pitaqueiros, políticos e curiosos já discutem e tomam decisões agora de olho em 2022, quando haverá eleições para Governador.

Neste plano de discussão, análises e pitacos, um dos pontos mais discutidos é se o candidato Cícero Lucena que disputa a Prefeitura de João Pessoa com o apoio do governador João Azevêdo estará com ele nas próximas eleições estaduais, quando, provavelmente, Azevêdo estará disputando a reeleição.

Será?

A dúvida sobre a continuação desta aliança até 2022 reside no fato de que Cícero pertence ao partido da poderosa família Ribeiro que tem o deputado federal e ex-ministro Agnaldo Ribeiro; a sua irmã, Daniela Ribeiro, senadora muito bem votada que derrotou Cássio Cunha Lima na disputa pelo Senado; o pai, Enivaldo Ribeiro, ex-prefeito de Campina Grande e atual vice-prefeito; e o neto deste, Lucas Ribeiro, atual vereador e vice-prefeito já eleito na chapa de Bruno Cunha Lima, a tomar posse na Prefeitura de Campina Grande no dia 1º de janeiro de 2021.

É razoável imaginar que, com este cabedal político, a família Ribeiro – que vem se fortalecendo a cada eleição – escolherá um dos seus membros mais destacados para disputar a sucessão do governador João Azevêdo.

O que irá acontecer no futuro é claro que ninguém sabe. Mas alguém acredita que, tendo a família Ribeiro um candidato a governador, Cícero Lucena que migrou do ninho tucano e foi bem acolhido no Progressistas pelos “ribeirenses” irá abandoná-los para apoiar o João Azevêdo?

João Pessoa

Independente dos prós e contras de Cícero Lucena e Nilvan Ferreira, passados quatro dias do segundo turno das eleições, ninguém de bom senso arrisca apostar uma prata em quem irá vencer esta parada, a não ser os fanáticos e os malucos. Pode até ser que alguém esteja bem na frente de alguém, mas as evidências não permitem que se perceba.

Quem vai começar clarear este quadro de total incerteza serão as próximas pesquisas eleitorais.
Numa disputa em que estão envolvidos apenas dois candidatos, a possibilidade das pesquisas errarem é quase zero, até pelo risco da desmoralização da credibilidade.

 

 

Por Wellington Farias

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Paraibano inicia mês de dezembro com conta de luz mais cara

A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidiu, em reunião extraordinária realizada nesta segunda-feira (30), que haverá cobrança extra na conta de luz dos consumidores a partir desta…

Covid-19: novo boletim aponta melhora no estado de saúde de Zé Maranhão

O estado do senador Zé Maranhão, internado com a Covid-19, desde o último domingo (29), segue estável, conforme boletim divulgado nesta segunda-feira (1º). Maranhão está sem febre e respirando espontaneamente. Novos…