Por causa da pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2), escolas suspenderam as aulas presenciais e passaram a buscar formas alternativas de manter o processo de ensino-aprendizagem durante a quarentena. O uso da Internet, através de aplicativos e plataformas on-line, supre remotamente as aulas. No entanto, muitos alunos de famílias carentes sofrem com a falta da merenda escolar.

Na Paraíba, esse problema será amenizado graças a uma Lei sancionada pelo governador João Azevedo e já publicada no Diário Oficial desta terça-feira (05). A Lei garante alimentação a alunos da rede estadual em momentos de calamidade pública.

A lei, de autoria dos deputados Felipe Leitão (Democratas) e Taciano Diniz (Avante), obriga a manutenção do fornecimento de alimentação escolar aos alunos rede pública estadual de ensino quando for declarado Estado de Calamidade Pública com suspensão de aulas nas escolas devido a pandemia do novo coronavírus.

Para milhões de crianças pobres no Brasil, a merenda escolar é uma refeição importante, às vezes, a única do dia. Para manter os estudantes em casa na quarentena sem prejuízos à alimentação, governos começaram a liberar um auxílio-merenda emergencial.

SL
PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Estado distribui máscaras reutilizáveis nas filas dos bancos

O Governo do Estado da Paraíba, por meio da Secretaria de Estado da Saúde, Secretaria de Estado do Desenvolvimento Humano e o Procon Estadual da Paraíba, iniciou nesta segunda-feira (25),…

Campina Grande antecipa feriados e prorroga medidas restritivas

Na tarde desta segunda-feira (25), o prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSD), anunciou, além da ampliação de medidas de combate à propagação do novo coronavírus, a antecipação dos feriados…