Por pbagora.com.br

Engajado diuturnamente em busca de resolução para a grave crise hídrica que atinge a cidade, o prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, que recebeu com muita preocupação a decisão liminar da suspensão as atividades no eixo leste da obra de Transposição do Rio São Francisco, anunciou nesta quinta-feira, 22, que o município estará entrando com uma ação de suspensão da liminar junto ao Tribunal Regional do Trabalho de Pernambuco.

É que o juiz Antonio Augusto Neto, de Olinda-PE, acatando a argumentação de irregularidades por parte do Ministério Público do Trabalho, determinou a imediata suspensão dos trabalhos no Túnel Monteiro e o transporte de trabalhadores.

Para o prefeito Romero, a questão é realmente delicada, mas merece uma reflexão maior em relação à urgência da necessidade por água pela qual passa Campina Grande e as dezenas de cidades do Compartimento da Borborema.

“Compreendo que entre a questão de problemas trabalhistas e da vida de quem está na angustia da espera por água, tem que se preservar a vida. E preservar a vida de mais de um milhão de habitantes da nossa região depende da continuidade das obras de transposição do Rio São Francisco. A não continuação dessas atividades pode implicar no estrangulamento definitivo do abastecimento através de Boqueirão, o que vai nos trazer grandes problemas”, ponderou o gestor.

Romero, que visitou a obra junto com uma comitiva de autoridades em outubro e participou de inúmeras audiências em Brasília para tratar do tema, reiterou seu engajamento na busca por uma solução.

O prefeito de Campina Grande já recomendou ao procurador do município, José Mariz, que se protocole com urgência um pedido de suspensão de liminar junto ao Tribunal Regional do Trabalho de Pernambuco.

“Se for caso, vamos levar a apelação até o Supremo Tribunal Federal para que as obras sejam retomadas urgentemente. Com todo respeito ao magistrado, mas a decisão se observa como desarrazoada, uma vez que existem outras tantas formas de penalizar as empresas que estão eventualmente descumprindo as normas”, argumentou Romero.

O gestor campinense também está mobilizando senadores e deputados federais da Paraíba em Brasília para que se viabilize uma audiência na próxima semana com o Governo Federal.

“Vamos novamente dialogar todos juntos, com base no convencimento, mostrando as dificuldades enfrentadas por Campina e os municípios da região em relação à necessidade extrema, essencial e prioritária da continuação das obras da transposição. Queremos convencer as autoridades para que haja uma liberação provisória do seguimento das atividades enquanto a construtora se adéqua às exigências do Ministério Público do Trabalho”, pontuou o prefeito.


Redação com Codecom/CG

 

Notícias relacionadas

Polícia prende suspeito de estuprar jovem que conheceu em rede social

Um homem foi preso suspeito de estuprar uma jovem que conheceu em rede social, em João Pessoa. A jovem foi estuprada na noite desta terça-feira (11) no bairro do Cristo…

Reitor da UFPB anuncia novo concurso público para o próximo ano

A construção de uma subestação 69 kV (quilovolts), que representará uma economia de R$ 500 mil por mês para a Universidade Federal da Paraíba (UFPB), e a realização de concurso público no próximo ano. Estas foram algumas das prioridades elencadas pelo Reitor Valdiney Gouveia durante…