Por pbagora.com.br

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) publicou Resolução que dispõe sobre a prorrogação da concessão de licença-paternidade e de adotante para magistrados e servidores do Poder Judiciário brasileiro. Na exposição de motivos, o Conselho Nacional tomou por base a Lei n. 13.257/2016, que estabelece princípios e diretrizes para a formulação e a implementação de políticas públicas para a primeira infância, a qual alterou a Lei n. 11.770/2008, possibilitando a prorrogação da licença-paternidade por quinze dias. 

O diretor de Gestão de Pessoas do TJPB, Einstein Roosevelt Leite, informou que o Tribunal de Justiça já adota a licença-paternidade com o prazo de 20 dias, para magistrados, servidores, adotantes, e, inclusive, com guarda judicial de criança para adoção, e que foi disciplinado, desde 2016, com a edição da Resolução nº 22/TJPB. 

O juiz Adhailton Lacet Correia Porto, titular da 1ª Vara da Infância e Juventude da Comarca da Capital, responsável pelos processos de adoção, destacou que a Resolução do CNJ vem em boa hora.

“Vê-se que o documento faculta aos Tribunais conceder ou não esse prazo, o que não é o caso da Paraíba, porque o Tribunal de Justiça já está na vanguarda, já vinha concedendo essa licença tanto a pais biológicos, quanto aos pais adotivos”, ressaltou.

PB Agora

 


Certificado digital mais barato para advogados e contadores. Clique e saiba como adquirir

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Clientes da Energisa podem parcelar contas vencidas em até 12 vezes pelo cartão de crédito

A partir desta semana, a Energisa oferece mais uma opção para ajudar os clientes a manterem as contas em dia: o parcelamento das contas atrasadas em até 12 vezes no…

Covid-19: Ouro Velho é o único município da PB sem registro da doença

O novo coronavírus fez vítimas em 222 dos 223 municípios paraibanos. Os dados são da Secretaria de Estado da Saúde (SES). A única cidade que ainda não registrou casos da…