Por pbagora.com.br

O promotor Carlos Guilherme Santos Machado acusado de atirar contra o cunhado no dia 14 de junho, após uma discussão em Cajazeiras, município do Sertão da Paraíba, foi ouvido nesta terça-feira (28), pela Procuradoria Geral de Justiça em depoimento que alcançou quase seis horas de duração.

De acordo com informações do advogado de defesa Cláudio Caju, o promotor teria revelado em depoimento que o tiro não teria sido acidental. Mas, que não teria sido com intenção de atingir o cunhado.

O promotor é acusado de crime de lesão corporal, por ter disparado no pé direito do pedreiro Patrício da Silva, 29 anos, na calçada da casa da vítima, em Cajazeiras, no dia 14 de junho.

Jornal Correio

Notícias relacionadas

Covid: Paraíba registra a menor taxa de ocupação de leitos desde o início de março

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) registrou, nesta segunda-feira (19), 904 casos de Covid-19. Entre os confirmados hoje, 37 (4,09%) são casos de pacientes hospitalizados e 867 (95,90%) são…

Opinião: Sobre o apressado decreto da PMJP relativo à pandemia

Só neste domingo (18), a Secretaria de Saúde da Paraíba registrou 893 casos de Covid-19 no Estado. Trinta e nove são pacientes hospitalizados e 854 são de sintomas leves. A…