Na sua primeira visita a Campina Grande após ser eleito presidetne da República, o presidente Jair Bolsonaro (PSL), conheceu uma das casas do Aluízio Campos. O complexo habitacional é considerado um dos maiores do Nordeste, com 4.100 unidades, entre casas e apartamentos, e já conta com uma população superior a 180 municípios paraibanos.

Ele chegou ao local da solenidade por volta das 10h acompanhado do ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto.

Além do presidente, participam do evento o prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues; o vice-prefeito de Campina Grande, Enivaldo Ribeiro; a vice-governadora da Paraíba, Lígia Feliciano; o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto; o presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes; o secretário nacional de Proteção Global do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Sérgio Queiroz; a senadora Daniella Ribeiro; os deputados federais Damião Feliciano, Efraim Filho, Ruy Carneiro e Pedro Cunha Lima; e o procurador de Justiça do Distrito Federal Eduardo de Albuquerque.

Em seu discurso, o presidente parabenizou a vice governadora Lígia Feliciano (PDT), pelas palavras, e disse que em sua família tinha sangue de cabra da peste. Lembrou do ataque em Minas Gerais e disse que vai entregar ao seu sucessor um Brasil melhor.

A construção do complexo teve o investimento de R$ 300 milhões da União, além dos R$ 30 milhões investidos por parte da Prefeitura Municipal de Campina Grande. Durante a solenidade será feita a entrega dos imóveis às famílias contempladas.

Sem polêmica – Ao desembarcar em Campina Grande para inauguração do conjunto Aluizio Campos, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse que não iria polemizar com o ex-presidente Lula, libertado da última sexta-feira (08), após decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que beneficiou condenados em segunda instância. “Não vou polemizar com condenado”, disse o gestor após ser indagado pelo repórter Maurílio Júnior.

Sobre as ações do governo, o presidente disse que a prioridade “é concluir as obras, e não começar nada novo”. Ao lado do ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto; do prefeito Romero Rodrigues; do líder da bancada federal, Efraim Filho; e de várias outras autoridades, o presidente evitou comentar a ausência do deputado federal Julian Lemos, seu colega de partido e fiel aliado.

Redação

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Articulações: grupo de João Azevêdo criará conselho para discutir eleições 2020

O governador João Azevêdo (sem partido) não deverá ficar omisso ao pleito de 2020 como muitos imaginavam, diante do recente racha com o PSB paraibano. Um Conselho Político será formado…

“Estou vivo”, diz Dom Aldo após virar, pela 2ª vez, alvo de boato sobre morte – OUÇA

Em um áudio enviado pelas redes sociais, o arcebispo emérito da Paraíba, Dom Aldo Pagotto desmente as notícias que davam conta da sua morte. Na fala, Dom Aldo diz que…