A Paraíba o tempo todo  |

Primeira etapa da Transposição Litorânea será entregue este ano

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

A primeira etapa do projeto de Transposição Litorânea será entregue até o final de 2009. O anúncio foi feito pelo secretário de Infra-Estrutura do Estado, Francisco Sarmento, que na tarde desta quarta-feira (8) visitou o canteiro de obras do projeto situado na BR-101, nas proximidades da Manzuá. Ele revelou que os recursos para a segunda etapa serão solicitados na reunião que acontecerá nesta quinta-feira (9) com diretores da Caixa Econômica Federal e o grupo gestor do Programa de Aceleração do Crescimento – PAC da Casa Civil da Presidência da República.

Sarmento ressaltou que a obra é fundamental para a estruturação do sistema de abastecimento de água da grande João Pessoa, abrangendo os municípios de Bayeux, Santa Rita, Cabedelo e Conde. “Será garantido o abastecimento de água por um período futuro de mais de 30 anos. Hoje o sistema de abastecimento de água da grande João Pessoa se encontra exaurido desde ano de 2000 e vivemos sob ameaça dos racionamentos. A Transposição Litorânea vai eliminar todo e qualquer risco de racionamento de água nestes municípios”, comentou.

Durante a visita, os diretores da Construtora Camargo Correia, empresa que está realizando a obra, estiveram reunidos com o secretário Francisco Sarmento e mostraram onde vai funcionar a estação de tratamento, que terá sua capacidade duplicada para 3.800 litros por segundo.

O diretor da obra, Paulo Roberto Silva, informou que 150 pessoas estão trabalhando hoje na obra e que com a aceleração dos trabalhos este número será ampliado para 2000 mil trabalhadores, uma geração de empregos nas localidades onde os serviços estão sendo feitos.

A primeira etapa do projeto Transposição Litorânea, que está orçada em R$ 84,2 milhões, abrange a construção de cerca de 28 quilômetros de adutora, a estação de tratamento (situada na BR-101) e uma barragem localizada no município de Alhandra. Já na segunda etapa será realizada a duplicação da reserva elevatória em 40 mil metros cúbicos e ampliação de 10 quilômetros de rede. As águas que abastecerão a capital paraibana e as cidades que compõem a grande João Pessoa virão das bacias hidrográficas dos rios Abiaí (Caapora) e Popocas (Alhandra).

“O projeto Transposição Litorânea foi elaborado na época em que Maranhão estava em seu segundo mandato e desprezado pelo governo anterior por razões obscuras. A prova disso é que em oito meses de inserção no PAC, só foi executado 0,5% da obra, tornando-se incompreensível por ser um projeto de recursos financeiros garantidos”, disse Sarmento.
 

Assessoria

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe