Por pbagora.com.br

O presidente do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB), conselheiro Arnóbio Viana, negou nesta quarta-feira (15) que teria convocado uma reunião com os demais integrantes da corte para debater as consequências da Operação Calvário que no âmbito da instituição causou o afastamento de dois conselheiros.

“Estamos na expectativa porque dois conselheiros foram afastados e nós já substituímos os afastados. Eu cheguei no Tribunal e tinha essa história, daí você vê que às vezes notícias que não estão calcadas na verdade se propagam. Eu não marquei reunião nenhuma. É mentira, eu não convoquei reunião nenhuma até porque já substituí os conselheiros afastados e todas as notícias dependem de quem está investigando e não do Tribunal de Contas que fez apenas as substituições” declarou.

Arnóbio Viana ainda ressaltou que cabe ao Ministério Público investigar e denunciar os envolvidos e reforçou que é a favor da celeridade e punição para quem cometeu os crimes investigados “doa a quem doer”.

“O Ministério Público é quem tem o papel de investigar e denunciar para que os envolvidos sejam punidos o TCE continua com seu trabalho sempre altivo e em defesa da correta aplicação dos recursos públicos. Pedi celeridade e punição a quem deve doa a quem doer. Eu fico triste quando as notícias envolvem o nome da instituição, porque quem comete crimes são as pessoas e não as instituições então tem que se citar o nome da pessoa, o fato e se fazer as punições devidas” concluiu.

As informações repercutiram no programa Correio Debate.

PB Agora

Notícias relacionadas

Dia Internacional da Mulher terá Live especial promovida pela PMCG

Na próxima segunda-feira, 08 de março, é o Dia Internacional da Mulher, um momento especial que merece ser muito comemorado. O Dia Internacional da Mulher, celebrado anualmente nesta data, surgiu…

Covid: MPPB não descarta ir à Justiça por suspensão de jogos de futebol na PB

Ministério Público da Paraíba vai à CBF solicitar que partidas da Copa do Nordeste e da Copa do Brasil não ocorram na Paraíba O Ministério Público da Paraíba não descarta…