Por pbagora.com.br

A prefeita Márcia Lucena, de Conde, rebateu hoje durante entrevista pela manhã à rádio RPN supostas ilegalidades no decreto de emergência que instituiu a coleta de lixo no município, e que teve os efeitos suspensos por medida cautelar de um conselheiro substituto do tribunal de Contas do Estado em reação a denúncia encaminhada à instituição.

“Agimos em defesa da população que vivia um estado de calamidade, e o nosso decreto está absolutamente correto, e já foi encaminhado ao Tribunal de Contas do Estado”.

Na manhã desta terça-feira (7), o procurador-geral de Conde encaminhará ao TCE a documentação necessária para o atendimento das exigências da medida cautelar.

A prefeita informou que o denunciante é um estudante de Direito que tentou agredi-la com um murro no dia da eleição, contrariado com as manifestações de apoio e contra o grupo da gestão anterior.

Para a prefeita, se trata da expressão do inconformismo de um grupo que perdeu o controle dos negócios públicos. Ela acrescentou que já esperava essa tipo de atitude, uma tentativa de encobrir as boas novas da gestão que já conseguiu estabelecer um ritmo satisfatório para a limpeza da cidade.

 

Márcia Lucena acrescentou que o decreto da emergência é indispensável para garantir a compra de medicamentos para a rede de atendimento em Saúde, que se encontrava fechada. Para a prefeita, a dimensão do decreto inclui a necessidade de medicamentos para um serviço que estava fechado, e que a nossa gestão abriu, e está avançando para estabelecer a regularidade do fornecimento também dos remédios.



PB Agora

Notícias relacionadas

TCE mantém rescisão de contratos do lixo e PMJP terá 180 dias para nova licitação

A Prefeitura de João Pessoa terá um prazo de 180 dias para realizar uma nova licitação visando a contratação de empresas especializadas na coleta de lixo e limpeza urbana. Os…

Vídeo: alvo de desacato, Cícero pede prisão de manifestante, mas reitera diálogo com categorias

Uma confusão foi registrada na manhã desta quinta-feira (22), no Centro Administrativo de João Pessoa no momento em que alguns representantes da construção civil de João Pessoa realizavam um protesto.…