A Paraíba o tempo todo  |

Prazo para entrega da declaração do IR encerra na próxima segunda-feira

Especialista da Fecomércio MG orienta que os contribuintes não devem deixar para declarar nos momentos finais; quem perder o prazo pagará multa de R$165,74 a 20% do valor devido

Na próxima segunda-feira (31/05) encerra o prazo para a entrega da Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) 2021, ano-base 2020. Apesar da prorrogação do prazo, em virtude a pandemia do novo coronavírus (Covid-19), cerca de 10 milhões de contribuintes ainda não enviaram a sua declaração. De acordo com a tabela, devem declarar o IR os contribuintes que receberam rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2020.

A gerente executiva contábil e financeira da Fecomércio MG, Luciene Franco, reforça a importância de separar todos os documentos antes de iniciar o preenchimento e orienta enviar a declaração no prazo estipulado. “Apesar da prorrogação do prazo de entrega, muitos contribuintes acabam deixando para a última hora, o que é um grande risco. Nos momentos finais da entrega, é comum a sobrecarga do sistema. Por isso, orientamos a quem não tenha feito a entrega, que procure realizá-la o mais rápido possível”, destaca.

 

O contribuinte que entregar fora do prazo ou não fizer a declaração estará sujeito a multa de no mínimo R$ 165,74 e no máximo de 20%, de acordo com valor do imposto devido. Apesar do adiamento da data final, o cronograma de pagamento das restituições permanece igual. Elas começam a ser pagas no próximo dia 31 de maio e seguem até 30 de setembro.

 

Uma das novidades em 2021 é a ampliação do número de contribuintes aptos a usar a declaração pré-preenchida. Esse tipo de declaração possibilita a inclusão de diversos dados prestadas à Receita Federal por meio de outras fontes. Mas, apesar da vantagem, é preciso que o contribuinte verifique, corrija ou complemente os dados.

 

Além disso, os beneficiários do auxílio emergencial são obrigados a declarar o IR caso tenham recebido, junto com o auxílio, outros rendimentos tributáveis em valor anual superior a R$ 22.847,76. Nessa situação, o contribuinte também deverá devolver as parcelas recebidas do auxílio emergencial.

 

Quem deve declarar

 

Confira as situações em que é necessário declarar o IR à Receita:

 

• Recebeu mais de R$ 28.559,70 de renda tributável em 2020 (incluindo salário, aposentadoria ou aluguéis). O valor é o mesmo da declaração do Imposto de Renda no ano passado;

• Recebeu mais de R$ 142.798,50 em atividade rural em 2020;

• Ganhou mais de R$ 40 mil isentos, não tributáveis ou tributados na fonte no ano (como indenização trabalhista ou rendimento de poupança);

• Teve posse ou propriedade de bens de mais de R$ 300 mil;

• Obteve renda com a venda de bens (casa, lote, entre outros);

• Comprou ou vendeu ações na Bolsa de Valores;

• Passou a morar no Brasil em qualquer mês de 2020 e ficou aqui até 31 de dezembro;

• Vendeu um imóvel e comprou outro em um prazo de 180 dias, usando a isenção de IRPF no momento da venda, ou;

• Recebeu o auxílio emergencial em 2020 e teve rendimentos tributáveis acima de R$ 22.847,76.

 

Redação com Assessoria

 

    VEJA TAMBÉM
    Veja Mais

    PL prevê gratuidade para desempregados

     Um projeto de lei de autoria do deputado estadual Frei Anastácio (PT), em tramitação na Assembleia Legislativa, propõe…

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe