Por pbagora.com.br

Diversos políticos paraibanos emitiram nota, nesta quinta-feira (25) lamentando a morte do jornalista paraibano Juarez Amaral que morreu de Covid-19, aos 71 anos, na madrugada de hoje em Campina Grande.

O jornalista, que era natural do município de São João do Cariri, estava internado desde o dia 17 no Hospital Municipal Pedro I.

Confira as notas:

Bruno Cunha Lima:

O prefeito Bruno Cunha Lima, de Campina Grande, lamentou profundamente a morte, na madrugada desta quinta-feira, 25, do jornalista e radialista Juarez Amaral, por Covid-19, após oito dias internado em estado grave no Hospital Pedro I. Bruno também está decretando luto oficial de três dias no município, em homenagem póstuma ao comunicador.

Bruno Cunha Lima destaca que, com praticamente 50 anos de carreira, Juarez Amaral fez história na imprensa de Campina Grande, principalmente nas décadas de 80 e 90, quando se tornou a mais importante referência do jornalismo local.

Natural de São João do Cariri, no Cariri paraibano, Juarez Amaral era formado pela Faculdade Casper Libero, de São Paulo (SP). Trabalhou na Rádio Tupi, realizando um antigo sonho, já que a família lembra que, na infância, muitas vezes foi flagrado pelos pais antes de dormir narrando jogos de futebol imaginários e notícias fictícias.

Durante 33 anos, Juarez foi editor-chefe do Programa Jornal de Verdade, um marco na história do radialismo, que nos últimos anos migrou para a plataforma digital.

O sepultamento do corpo de Juarez Amaral está marcado para as 17h desta quinta, no Campo Santo Parque da Paz, no Velame, onde há muitos anos comprou uma sepultura. Fez questão de ser o jazigo de número 13 – uma homenagem eterna a seu time do coração.

Veneziano:

O Vice-Presidente do Senado Federal, Senador Veneziano Vital do Rêgo (MDB-PB) lamentou na manhã desta quinta-feira (25) o falecimento do jornalista Juarez Amaral de Medeiros, aos 70 anos, vítima de complicações da Covid-19. Juarez estava internado no Hospital Pedro I, em Campina Grande, desde a semana passada, mas seu quadro de saúde se agravou durante a madrugada, ocasionando a sua morte.

Veneziano lembrou que Juarez foi um importante profissional da imprensa de Campina Grande e da Paraíba, marcando uma geração de jornalistas. “Campina Grande e a Paraíba perderam hoje um de seus grandes ícones da imprensa, o jornalista Juarez Amaral. Grande profissional, dedicado, focado na notícia, Juarez marcou uma geração de homens e mulheres de imprensa, como precursor do jornalismo no rádio e na TV em Campina, através de suas reportagens e do seu Jornal de Verdade”.

Ele lembrou de suas paixões, como o Treze e as suas caminhadas habituais no Açude Velho, onde sempre era visto à tarde, pelos frequentadores do local. “Torcedor do Treze, atleta diário do Açude Velho e figura marcante do Calçadão, o ‘cara pálida’ e ‘nota 13’ é mais um grande profissional e amigo que perdemos para a Covid-19, infelizmente”.

Veneziano Vital também aproveitou para se solidarizar com os familiares e amigos, neste momento de imensa dor, lembrando que Juarez detinha uma grande legião de admiradores. “Que Deus o acolha na Vida Eterna e conforte a todos os familiares e milhares de amigos e admiradores”, destacou o parlamentar paraibano.

Vital do Rêgo:

O Ministro do Tribunal de Contas da União – TCU Vital do Rêgo Filho comentou nesta quinta-feira (25) a morte do jornalista Juarez Amaral de Medeiros, aos 71 anos. Juarez faleceu em decorrência da Covid-19, após uma semana de internação no Hospital Pedro I, em Campina Grande, para onde foi levado após se sentir mal durante uma caminhada no Açude Velho.

Segundo Vitalzinho, Juarez Amaral marcou gerações de jornalistas com seu jeito peculiar de tratar a notícia e seu caráter inovador. O Ministro lembrou que foi Juarez quem criou o hábito, em Campina Grande e na Paraíba, de ouvir notícias pelo rádio, através da criação do Jornal de Verdade, o mais antigo jornal radiofônico, ainda hoje em atividade, da Paraíba.

“Juarez ousou trabalhar a notícia no rádio numa época em que Campina Grande tinha o hábito de ouvir músicas e transmissões de futebol nas emissoras locais. Ele criou um jeito novo de fazer rádio e esse jeito novo o levou a ser dono da maior audiência de Campina. Hoje, muito do que se faz no rádio campinense e paraibano é fruto da ousadia deste grande profissional que nós perdemos”, destacou Vital do Rêgo.

O Ministro do TCU também lamentou a perda para os familiares e tantos amigos que foram construídos ao logo de sua trajetória profissional. “Juarez sempre foi muito atencioso comigo e com todos os que o conheceram. Ele deixa, além do legado de grande profissional de imprensa, milhares de amigos e admiradores. A todos, sobretudo aos seus familiares, o meu mais sincero sentimento de pesar”, finalizou Vitalzinho.

ALPB:

O presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba, Adriano Galdino, em nome de todos os parlamentares e servidores, vem a público lamentar o falecimento do radialista Juarez Amaral, vítima de complicações resultantes da infecção da covid-19.

Ele foi internado no dia 17 de março, no Hospital Pedro I, em Campina Grande, após passar mal durante uma caminhada às margens do Açude Velho.  

“Perdemos um grande comunicador que durante décadas manteve a população de Campina e região informados e sintonizados em tudo o que acontecia no nosso Estado. É uma grande perda e por isso eu quero prestar minhas condolências a todos os ouvintes, amigos e familiares de Juarez”, destacou Adriano.

Juarez militava no rádio campinense desde meados dos anos 80. Foi fundador do programa “O Jornal de Verdade” e passou por emissores como a Rádio Caturité AM, Rádio Cidade Esperança AM e na Rádio Arapuan FM.

Daniella Ribeiro:

Com pesar, a senadora Daniella Ribeiro lamenta o falecimento do radialista e jornalista Juarez Amaral por Covid-19, nesta quinta-feira (25). O comunicador era natural do município de São João do Cariri e trabalhou em vários veículos de imprensa da Paraíba. Ele estava internado havia uma semana no Hospital Pedro I, em Campina Grande.

“É uma perda enorme para a imprensa paraibana que infelizmente já registrou a morte de outros profissionais, jornalistas e radialistas, em decorrência da Covid-19. A trajetória de Juarez Amaral não será esquecida pelos seus colegas nem por todos nós que um dia tivemos a honra de conhecer o seu trabalho, realizado com esmero. Registro, aqui, minha solidariedade aos familiares e amigos”, declarou a senadora.

O comunicador passou mal no dia 17 de março quando caminhava próximo ao Açude Velho. Ele foi levado ao hospital onde ficou internado, mas não resistiu e morreu nesta quinta-feira (25).

Aguinaldo Ribeiro:

O deputado federal Aguinaldo Ribeiro (Progressistas) lamentou o falecimento do jornalista Juarez Amaral ocorrido na madrugada desta quinta-feira (25) em decorrência da covid-19.

Aguinaldo pontuou a perda que a morte de Juarez traz para a imprensa paraibana e o legado deixado pelo comunicador que teve participações na TV Paraíba, entre outras emissoras paraibanas e em uma rádio de São Paulo.

“Infelizmente mais uma vida que se vai por conta da covid-19, esse inimigo que dia após dia lutamos para combater. Juarez será para sempre lembrado e sua atuação na imprensa paraibana é parte do legado deixado por ele. Deixo aqui o meu abraço à família, aos amigos e a todos aqueles que assim como eu lamentam essa partida tão dura” disse o parlamentar.

Juarez tinha 71 anos e estava internado no Hospital Pedro I em Campina Grande desde o último dia 17 quando passou mal e foi diagnosticado com covid-19.

PB Agora

Notícias relacionadas

Motoristas de ônibus devem cruzar os braços a partir da próxima 3ª em JP

O presidente do Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Passageiros e Cargas no Estado da Paraíba (Simtro-PB), Claudemir Bezerra do Nascimento, anunciou, em nota publicada nesta sexta-feira…

Covid: PMJP aplica 2ª dose da vacina em pessoas com 78 anos ou mais

A Prefeitura de João Pessoa vai concentrar o atendimento na aplicação da dose de reforço da vacina Coronavac/Butantan para pessoas com 78 anos ou mais, neste sábado (17). Serão abertos…