Por pbagora.com.br

Policiais civis da Paraíba não vão aderir à mobilização nacional das polícias marcada para esta quarta-feira, dia 21. O presidente da Associação dos Policiais Civis da Paraíba, Sandro Bezerra, disse que a categoria apoia a mobilização nacional, mas evitará que a população sofra com vandalismos e ataques que ocorreram na Bahia e em Pernambuco.

Mas o Sindicato dos Servidores da Polícia Civil diverge e informa que o efetivo será reduzido e as delegacias serão mantidas abertas, mas só registrarão flagrantes. O presidente da Associação de Defesa das Prerrogativas dos Delegados de Polícia da Paraíba (Adepdel), Cláudio Lameirão, disse que o funcionamento das delegacias no Estado não será afetado.

A Polícia Federal vai reduzir o efetivo das 9h até meio-dia e fará mobilização em frente à sede da PF, em Cabedelo, na Grande João Pessoa, para votar proposta de reajuste salarial da categoria feita pelo Ministério do Planejamento. O patrulhamento das rodovias federais da Paraíba permanecerá normal.

A Polícia Militar da Paraíba também devem seguir normalmente, de acordo com a assessoria da instituição, mas a quinta-feira será dia de protesto de PMs e Bombeiros em frente do Palácio da Redenção, em João Pessoa. Os PMs reivindicam pagamento por risco de vida, adicional noturno, equiparação de salários e implantação do Plano de Cargos e Carreiras. No próximo dia 29 haverá assembleia para deliberar greve, caso não haja negociação

 

Redação com Paraná-Online

Notícias relacionadas

Condomínios na PB são obrigados a comunicar violência doméstica contra crianças e idosos

O governador da Paraíba, João Azevêdo (Cidadania), sancionou a lei 11.880/2021, de autoria do deputado Chió (Rede), que determina a comunicação, por parte de condomínios residenciais, de violência doméstica contra…

Covid-19: MPF e MPPB acionam governo Bolsonaro para garantir 2ª dose da vacina

O Ministério Público Federal (MPF) e o Ministério Público da Paraíba (MPPB) ingressaram, nesta segunda-feira (19), com ação civil pública com pedido de liminar para que, em 24 horas, o Governo…