A Paraíba o tempo todo  |

Polícia Civil realizou mais de 100 operações na Paraíba em 2018

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

A Polícia Civil realizou pelo mens 117 operações na Paraíba, em 2018. Pelo menos é o que aponta relatório da Secretaria de Segurança e Defesa Social (Seds). A maioria delas aconteceu nas cidades de Campina Grande e João Pessoa, e combateu crimes como homicídios, tráfico de drogas e roubos de vários tipos, desde veículos a produtos eletrônicos.

De acordo com os dados repassados pela Seds, via Lei de Acesso à Informação, outras operações foram deflagradas pela Polícia Civil no ano de 2018, no entanto, algumas não foram denominadas e, por isso, não incluídas na estatística.

Segundo a 1ª superintendente regional de Polícia Civil, alguns casos, por atingirem uma linha investigativa mais extensa, necessitam que a estrutura de uma operação seja montada para que os fatos possam ser concluídos.

 

Ao todo, 52 cidades foram alvos das operações. No topo da tabela está Campina Grande, com pelo menos 40 operações durante os doze meses de 2018, de acordo com a divulgação da Seds.

O 2º superintendente regional de Polícia Civil, Luciano Soares, explicou que o saldo foi ainda mais positivo. No ano, foram 98 operações de repressão qualificada, 297 prisões, 127 armas de fogo apreendidas, 3,5 mil munições apreendidas, aproximadamente 350 dinamites apreendidas e cerca de 250 quilos de drogas apreendidas.

Além disso, segundo Luciano Soares, a “delegacia de homicídios de Campina Grande obteve um percentual de elucidação na ordem de 70%, mantendo uma excelência na investigação nas mortes violentas consumadas no município”.

João Pessoa fica atrás da Rainha da Borborema, mas em número ainda muito inferior, se comparado. Foram, pelo menos, oito operações realizadas na capital.

 

Segundo a 1ª superintendente regional de Polícia Civil, Roberta Neiva, o momento de maior impacto das operações policiais e quando os trabalhos foram ainda mais intenso, se concentrou no segundo semestre de 2018. Entre elas, destaques para a Operação Cartola, que desmontou um esquema de corrupção no futebol paraibano,  a Poseidon, Operação Hidra, Operação Chacal, Operação “Θ’hpama” e Operação Overloque, além de outras operações que aconteceram em toda Paraíba. No entanto, uma das que ganhou mais destaque, fez parte do primeiro semestre do ano, e envolveu um grande esquema de corrupção no futebol paraibano.

No dia 9 de abril uma operação foi deflagrada pela Polícia Civil e Ministério Público da Paraíba para investigar a manipulação de resultados no futebol profissional na Paraíba. O cumprimento de mandados de busca e apreensão mexeu com as estruturas de muitos clubes de futebol. Cerca de 80 pessoas foram investigadas no esquema pelos crimes de organização criminosa, crimes do estatuto do torcedor e falsidade ideológica.

Redação

 


Leia mais notícias sobre o mundo jurídico no Portal Juristas. Adquira seu certificado digital E-CPF ou E-CNPJ com a Juristas. Entre em contato através do WhatsApp (83) 9 93826000

 

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe