A revogação do Habeas Corpus do ex-governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB) deve ser julgado apenas após os festejos natalinos ou, até mesmo, após o recesso forense. Isso acontece porque até esta terça-feira (24) a vice-presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministra Maria Thereza de Assis Moura, não julgou o agravo apresentado pelo procurador da República Henrique Jacome Medeiros que pedia a mudança no entendimento.

Agora, o recurso foi encaminhado à relatora Laurita Vaz, nesta terça-feira (24), que pode aguardar o fim do recesso, em 3 de fevereiro, para apreciar a solicitação.

No último sábado (21), quando o ministro Napoleão Nunes Maia concedeu Habeas Corpus ao ex-governador Ricardo Coutinho, a ministra não despachou no caso porque estava numa viagem a São Paulo.

Ontem, segunda-feira (23), já de volta à Brasília, ela negou nove pedidos de liberdade e. A expectativa era que hoje, com o recurso da PGR em mãos, ela poderia decidir pelo retorno de Ricardo Coutinho para a prisão.

Clique aqui e veja a consulta processual.

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Romero anuncia mais um pacote de obras para Campina Grande

Após visitar áreas que serão contempladas com novas intervenções da Prefeitura em Campina Grande, o prefeito Romero Rodrigues anunciou, durante entrevista à Rádio Campina Grande FM, um novo pacote de…

Conselho de JP se reúne para debater novo aumento da passagem de ônibus

O Conselho Municipal de Mobilidade Urbana de João Pessoa (CMMU) irá se reunir na tarde desta sexta-feira (24), para discutir entre outras pautas o aumento da tarifa de ônibus na…