Por pbagora.com.br

A revogação do Habeas Corpus do ex-governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB) deve ser julgado apenas após os festejos natalinos ou, até mesmo, após o recesso forense. Isso acontece porque até esta terça-feira (24) a vice-presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministra Maria Thereza de Assis Moura, não julgou o agravo apresentado pelo procurador da República Henrique Jacome Medeiros que pedia a mudança no entendimento.

Agora, o recurso foi encaminhado à relatora Laurita Vaz, nesta terça-feira (24), que pode aguardar o fim do recesso, em 3 de fevereiro, para apreciar a solicitação.

No último sábado (21), quando o ministro Napoleão Nunes Maia concedeu Habeas Corpus ao ex-governador Ricardo Coutinho, a ministra não despachou no caso porque estava numa viagem a São Paulo.

Ontem, segunda-feira (23), já de volta à Brasília, ela negou nove pedidos de liberdade e. A expectativa era que hoje, com o recurso da PGR em mãos, ela poderia decidir pelo retorno de Ricardo Coutinho para a prisão.

Clique aqui e veja a consulta processual.

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

TRE-PB determina remoção de postagens que associam vereador da PB a rato

Seguindo parecer do Ministério Público Federal (MPF), por meio da Procuradoria Regional Eleitoral na Paraíba (PRE/PB), o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) determinou a remoção de postagens injuriosas em rede social…

Ruy defende campanha sustentável, sem comício, aglomeração ou carreatas

Às vésperas do início da campanha eleitoral, que começa oficialmente no domingo, o pré-candidato Ruy Carneiro defendeu que não sejam realizados comícios nem carreatas, com o objetivo de evitar aglomerações…