Por pbagora.com.br
(Tang Ming Tung/Getty Images)

O Boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), com dados avaliados até a semana Epidemiológica 8, terminada em 27 de janeiro, apontam que foram sinalizados 21 casos suspeitos de Síndrome Infamatória Multissistêmica Pediátrica temporalmente associada a Covid-19 na Paraíba.

Destes 11 casos foram confirmados, 01 está em investigação no município de Tavares e os demais foram descartados.

Diante da emergência, em 24 de julho de 2020, o Ministério da Saúde, por meio da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS/MS), implantou o monitoramento nacional da ocorrência da SIM-P temporalmente associada à COVID-19, por meio da notificação em formulário padronizado, disponível online, no endereço eletrônico https://redcap.saude.gov.br/surveys/index.php?s=TDHEXK9HDR.

Embora tenha o quadro clínico bastante semelhante à síndrome de kawasaki completa ou incompleta, a SIM-P geralmente ocorre em crianças mais velhas e com alterações dos marcadores inflamatórios e com disfunção cardíaca.

A definição de caso preliminar se aplica a casos hospitalizados ou óbito com

  • Presença de febre elevada (considerar o mínimo de 38o C) e persistente (≥ 3 dias) em crianças e adolescentes (entre 0 e 19 anos de idade).
  • Pelo menos dois dos seguintes sinais e sintomas: – Conjuntivite não purulenta ou erupção cutânea bilateral ou sinais de inflamação mucocutânea (oral, mãos e pés); – Hipotensão arterial ou choque; – Manifestações de disfunção miocárdica, pericardite, valvulite ou anormalidades coronárias (incluindo achados do ecocardiograma ou elevação de Troponima/NT-proBNP); – Evidência de coagulopatia (por TP, TTPa, D-dímero elevados); – Manifestações gastrointestinais agudas (diarreia, vômito ou dor abdominal).
  • Marcadores de inamação elevados, VHS, PCR ou procalcitonina, entre outros.
  • Afastadas quaisquer outras causas de origem infecciosa óbvia de inflamação, incluindo sepse bacteriana, síndromes de choque estafilocócica, ou estreptocócica.
  • Evidência de COVID-19 (biologia molecular, teste antigênico ou sorológico positivos) ou história de contato com caso de COVID-19. Comentários adicionais: Podem ser incluídos crianças e adolescentes que preencherem critérios totais ou parciais para a síndrome de Kawasaki ou choque tóxico, com evidência de infecção pelo SARS-CoV-2.

O boletim destacou ainda que houve um significativo aumento de casos e na taxa de mortalidade em todas as regiões de Saúde do Estado.

Notícias relacionadas

Paraíba adotará cotas raciais na aplicação da Lei Aldir Blanc

Medida integra pacote de ações em prol da classe artística para enfrentamento da pandemia da covid-19 rabalhadoras e trabalhadores pretos e periféricos da cultura na Paraíba serão beneficiados com cotas…

Novo decreto mantém celebrações religiosas e atendimento presencial em bares e restaurantes

Em novo decreto publicado em edição suplementar do Diário Oficial do Estado neste sábado (17), o Governo do Estado mantém o atendimento presencial nos bares, restaurantes, lanchonetes e lojas de…